O Escabeche Comunista

Vivemos num momento político em que a aliança tricolor entre PS/BE/CDU-PEV nos tenta convencer todos os dias, através de uma máquina de comunicação muito bem oleada, que eles sim são a salvação, que eles sim são a mudança e o fim da austeridade. Os coitados do PSD, historicamente, sempre foram asnos da comunicação, não sabendo esmiuçar as boas notícias até à última gota, não sabendo aproveitar todo o valor político que os bons resultados económicos que foram tendo ao longo do seu mandato. Mais, não souberam fazer oposição utilizando estes factos, como vieram a lembrar recentemente. Só agora é que se lembraram que de facto fizeram reformas que levou à liberalização do mercado das rendas, que facilitaram uma série de coisas que ajudou, e muito ao boom turístico que estamos a presenciar.

Não falaram e não insistiram desde o primeiro dia, que o Costa e Companhia Lda. iriam viver em estado de graça durante muito tempo graças ao executivo anterior, que viveriam sempre na sombra dos resultados macroeconómicos do prévio executivo (porque ao contrario do que alguns politico-comentaristas dizem, efeitos na economia devido a reformas não acontecem de hoje para amanhã) e que graças aos Portugueses, a nós os Contribuintes, e graças a grau de pragmatismo que há muito tempo não se via, conseguimos passar de 11% a 3% de défice em 4 anos, e conseguimos colocar Portugal no rumo certo para a recuperação. Agora, CLARO que foi longe de perfeito. Quando o PSD governa, surgem alas conservadoras que mexem em coisas que não deviam, ou pura e simplesmente ignoram outras áreas, ex. Simplex e modernização do estado, e isto não é ideal, tal como não é ideal o clientelismo e a pouca-vergonha que é a governação do PS que parece estar afincadamente focada só nos trabalhadores públicos. Enfim, as coisas vão transitando entre um partido e outro, e o contribuinte reza para que o bicho do fisco não nos prejudique mais do que já o fez.

Só que existem por aí uns tantos políticos, que se acham santos, que se dizem ser protectores do povo e salvadores do trabalhador, que recusam-se a condenar regimes como a do Nicolas Maduro ou do Kim Jong-Un, porque têm laços históricos com uma ideologia política antiga e vencida, logo não se pode criticar. Os nossos queridos Comunistas que tanto gostam de bater na tecla contra o “grande capital” e a burguesia e isto e aquilo, os vingadores que prometem acabar com as desigualdades tanto no público como no privado.

Ora surge hoje uma reportagem do Observador, cujo título é o seguinte: Câmara comunista oferece relógios de 880 euros a trabalhadores. Vou só deixar isso assentar um pouco. Preparados para mais indignação com este belo executivo comunista de Almada? Foram 150,000.00€ em relógios de luxo desde 2011 por ajuste directo a uma ourivesaria do município, sendo que só em maio (mais claro, em ano de campanha) foram €35mil euros em 43 relógios de luxo para homens e mulheres funcionários da câmara. Mais, em Dezembro foram quase €10mil em 65 smartphones para a festa de natal da câmara para os filhos dos funcionários, porque como a tradição era dar uma bicicleta, mas como a maioria já tinha, optaram por smartphones. Em 2015 foram tablets. E em 2017? Frigoríficos, Bimbis, carros? Quiçá uma moradia? Mais, parece que Almada é o único município que tem um festival de música que dá prejuízo, e dá prejuízo de mais de 744mil euros…

Para ser ainda mais claro: o teu dinheiro que sai do teu bolso todos os dias, que contribui para que possamos ter quiçá um estado que no mínimo dos mínimos nos preste um serviço digno no que calha à organização municipal, à saúde, à educação, à manutenção das infraestruturas, etc., está a ir directamente para alimentar um sonho molhado de qualquer comunista: os outros que paguem, para que eu ganhe. €150,000.00 em relógios para os funcionários comunistas e regalias para os filhos dos comunistas todos os anos que custam mais de €10,000.00 ao contribuinte, mais um festival anual na Caparica que custa mais de €700,000.00 em prejuízos. Garantidamente não há de ser a única Câmara a fazer este tipo de porcaria, mas enquanto os outros partidos tentam desvalorizar este tipo de corrupção (porque sim, este tipo de actividade é corrupto), o Partido Comunista anda por aí constantemente a meter-nos pela garganta abaixo que tem que se defender o povo do grande capital e bla bla bla. Se já valia pouco, agora vale ainda menos. Resignem-se ao CGTP, façam um rebranding, e deixem o comunismo na lixeira da história das más ideias cuja execução conseguiu ser sempre ainda pior do que se idealizava.

O facto é que o Jerónimo e o seu comité pertencem à mesma quadrilha que nos anda a assaltar com todas as ferramentas e recursos que têm ao dispor. O objectivo deles torna-se cada vez mais claro: querem como os demais serem senhores disto tudo e viver por conta de todos os contribuintes, para sempre. Querem sentar-se na mesma mesa que o resto do poder, querem poder fazer estas falcatruas sem olharmos. Mas é lixado, existe a informação e quem saiba ler e escrever…

Por isso, se por acaso forem ao Festival Sol da Caparica, e se por acaso se cruzarem com o camarada Joaquim Judas (nome perfeito) ou com um dos outros camaradas com uma bela adição à sua indumentária de luxo, peçam um momento do tempo deles para que eles vos possam, em pessoa, agradecer: afinal, tanto o festival como os relógios foram pagos por vocês.

Estamos entregues à bicharada

prateleiras-que-deveriam-estar-repletas-de-po-de-cafe-costumam-ficar-o-dia-inteiro-vazias-original.jpeg

 

A imagem acima, representa muita coisa, mas essencialmente representa o que o Estado não deve fazer e não deve ser. Quando o Estado se mete à frente do sector produtivo, controlando-o, quando este impede a abertura de lojas e expropria-se das mesmas, dizendo o que estas tem que fazer, chegamos ao cúmulo da idiotice. Diversos Portugueses na Venezuela, estão a passar por este terror, negócios de uma vida a irem por água a abaixo, os pilares familiares e de estabilidade a não aguentarem à maior crise de sempre, num dos Países, que já foi dos mais ricos da América Latina.

A inflação atinge já os terríveis 1000%, num País com uma economia que não é muito aberta e com uma liberdade económica muito restrita, a Venezuela é, neste momento, um rato de laboratório do que é o socialismo puro, com o Estado a ser o Pai nacional de toda, ou quase toda, a actividade económica, subsistindo  apenas dos recursos do sector petrolífero, que são cada vez menos devido ao choque petrolífero ao “contrário”, isto é, a redução substancial que houve nos preços do ouro negro. A relativa estabilidade económica Venezuelana, nos tempos, do agora, Passarinho Hugo Chávez, era fruto do alto  preço do crude, como em qualquer economia centrada em quase uma única actividade produtiva, e esta com o peso que tem nas exportações, sabia-se o resultado futuro se o cenário do preço da matéria prima mudasse. E aconteceu, nada de novo.

Os portugueses, em Caracas, até os nacionais daquele País, tem sido vitimas de terrorismo económico e burocrático estatal, basta ver diversas notícias e excertos das mesmas para se perceber a dimensão do desastre:«Uma padaria do centro de Caracas, propriedade de portugueses, foi ocupada pelas autoridades que mudaram o nome do estabelecimento e o entregaram a grupos de cidadãos para ser administrada durante pelo menos 90 dias», depois ainda temos:«Um papel colado na porta dá conta que a padaria é controlada por membros dos Comités Locais de Abastecimento e Produção», para tornar a situação ainda pior para os proprietários Luso-Venezuelanos e os seus funcionários:«Proprietários e trabalhadores foram impedidos de guardar o dinheiro que se encontrava na caixa registadora».

Acho que não é preciso dizer muito mais para personificar o desastre do socialismo, o problema é que os nossos “dirigentes” nacionais, fazem lápides em rotundas, falando na Amadora, com o nome de Hugo Chávez. Podemos, e temos a legitimidade de perguntar, se colocam o nome de um proto-ditador e lhe fazem homenagem, os dirigentes portugueses concordam com as políticas seguidas na Venezuela? Não é demais lembrar, que o nosso Presidente Taki Tali Takulá das beijocas, disse que:«Não se pode falar sobre a Venezuela..», gostava de saber o porquê de não podermos falar da Venezuela, voltámos ao tempo do:«Não discutimos…»? Sinceramente acho que sim, e se Marcelo e o Governo social-comunista estão contra a situação Venezuelana que hajam e defendam os interesses dos Portugueses na Venezuela.

Sei que é pedir muito… Estamos em clima de festa aqui no burgo, e ninguém pode estragar, mas defender os Portugueses na Venezuela do socialismo é prioritário, a não ser que comunguem da mesma ideologia…

Mauro Pires.