Os Portugueses estão Fartos de Políticos!

Os políticos, oligarcas, os media e o famoso:” Jet Set”, de Lisboa, vivem numa bolha incontrolável que se expande ao ritmo dos disparates que dizem no seu dia à dia sobre o País onde vivem mas, que cujo raio de alcance, começa no Terreiro do Paço e acaba ai mesmo. Portugal é muito mais do que a Avenida da Liberdade, é muito mais que os passeios matinais que fazemos da Margem Sul para Lisboa, onde maioria trabalha, é muito mais do que as polémicas, as intrigas e as fanfarras de determinadas pessoas que nasceram com “berço”, mas que hoje não tem dinheiro nem para comer nos cafés mais In de Lisboa, uma cidade, uma região maravilhosas cheia de famílias podres do regime e políticos que se conhecem desde a faculdade onde promovem hoje uma teia de promiscuidades de tamanho inimaginável, e que, só fizeram isso mesmo, política dura e pura, ou cargos que arranjaram com influências do “padrinho”, somos claramente governados por pessoas com um nível de arcaboiço a roçar o medíocre, sem visão e sem sentido de Estado.

A cada promessa de Marcelo, Costa, Cabrita e restantes políticos da capital, o povo tem sentimentos mistos, acredita no início, talvez pelo coração destroçado e ameaçado de morte, desdobrando sentimentos de raiva à medida que o tempo passa, porque simplesmente se apercebeu que os abraços, os beijos e as lágrimas no canto do olho são modas de ocasião, é conjuntural, não é estrutural, não cria raízes. O povo Português é isto mesmo, fabuloso! Tem os seus defeitos que o passado também ajudou a criar, como certo analfabetismo económico que não permite escolhas melhores a nível político e distinguir o trapaceiro do honesto, mas, por outro lado tem um espírito de abnegação como nenhum outro povo, lá no fundo está zangado, trancado em sentimentos malignos contra uma classe política que se faz de Deus, mas que nem para lavar os pés de Jesus Cristo serve, mas consegue fazer das tripas coração para continuar a sustentar a família emigrando, recomeçando tudo de novo, adaptando-se como ninguém, deixando Portugal à mercê do seu fado, o de sustentar os piores, os que não querem mudar: Os políticos que tem o Orçamento de Estado na mão.

Já ouvimos de tudo sobre fogos, eu, sou sincero, não percebo nada de fogos, gosto de números mas de outro tipo, portanto não sou o ideal para fazer de treinador de bancada que todos gostam ou gostaria que fosse, mas sei uma coisa fundamental, a prevenção nos incêndios é uma das chaves da resolução, não chega claro, mas a prevenção vai muito para além disso, começa na gestão de expectativas que certos políticos fazem das pessoas, começando já a actuar na pesca dos votos, eles reconfortam tudo e todos, anunciam a maior reforma da floresta desde D. Dinis e os resultados, o produto final, é sempre o mesmo, vidas devastadas, não pela morte desta vez é certo, mas o pão, o cordeiro, a ovelha, a galinha e a casa foram reduzidas a cinzas, toda uma vida, e esperar por apoios Estatais não é a melhor maneira de se melhorar emocionalmente.

Como diz António Costa, a inexistência de vítimas já é um sucesso. Eu digo outra coisa, a inexistência de uma comunicação social digna de seu nome é que me faz formigueiro, Passos Coelho já teria sido alvo de atentados monumentais de malcriadez de parte de Catarina Martins

Mauro Oliveira Pires

64 Razões Para Demitir-se Sra. Ministra

1.

1.
Miguel A Lopes – EPA

2.

2.
EPA

3.

3.
LUSA

4.

4.
LUSA

5.   6.   7.

8.

8.
Patricia De Melo Moreira – AFP

9.  10.  11.

12.

12.
Patrícia De Melo Moreira – AFP

13.  14.  15.

16.

16.
DR

17.

17.
Paulo Novais – EPA

18.    19.

20.

20.
Rafael Marchante – Reuters

21.  22.  23.  24.

Será que ainda não percebeu?

Precisa mais?

25.

25.

26.

26.
António Cotrim – Lusa

27.  28.  29.  30.  31.  32.

33.

33.

34.

34.
Lusa

Fracasso.

35.

35.
Paulo Novais – Lusa

Desastre.

36.

36.
Rafael Marchante – Reuters

Um absoluto horror.

37.

37.
Patricia De Melo Moreira – AFP

F. R. A. C. A. S. S. O.

38.  39.  40.  41.

Será que ainda não entendeu a dimensão do que aconteceu?

42.

42.
Patrícia De Melo Moreira – AFP

Perante a dimensão dos estragos, perante a quantidade dos MORTOS, é impensável que ainda não se tenha demitido.

43.  44.  45.  46.  47.  48.  49.

Aconteceu sob a sua vigia.

O caos foi total. O resultado? A pior catástrofe da nossa 3ª República.

Perante a desorganização, quem melhor conhecia o terreno, quem poderia melhor conduzir o combate não teve sequer oportunidade de dar indicações, apresentar as suas opiniões, partilhar a sua experiência. Acreditaram que quem vem de fora sabe sempre melhor que quem lá está, só porque detêm de títulos e “cargos”.

Explique exactamente do que é que serviu a sua presença no terreno?

Para o que é que serviram as afirmações do Presidente da República, dizendo que tudo o que podia ter sido feito tinha sido feito enquanto o número dos mortos aumentava escandalosamente?

Era para se sentirem melhor perante o vosso falhanço colectivo?

Era para não terem que sentir a verdadeira e derradeira responsabilidade do vosso fracasso?

50.

50 - Rafael Marchante Reuters

Demita-se

51.

51.
Patricia de Melo Moreira – AFP

Demita-se.

52.

52.

Demita-se e peça desculpa.

53.

53 - AFP PHOTO PATRICIA DE MELO MOREIRA

Mas diz que não se demite, que teve “os piores dias da sua vida”.

E nós?

E nós que estivemos impotentes enquanto os nossos compatriotas morriam às dezenas?

E nós que passamos horas sem fim a espectar este terror?

Da sua vida???

E a vida de quem voltou às suas casas e encontrou nada, apenas cinza?

E as vidas de quem voltou às suas casas e agora tem que enterrar os seus parentes e vizinhos?

E as vidas de quem voltou às suas casas, que por acaso sobreviveram, só para descobrir que tinham sido saqueadas por escumalha que nem me atrevo a chamar de vida humana?

E as 64 vidas que já não serão vividas?

O “pior dia da sua vida”?

As palavras que deveria proferir, e já, para além de um pedido profundo de desculpas, sublinhado com o resto de dignidade que lhe resta por algum dia ter aceite um cargo para o qual não tem a ponta de competência ou habilidade que se veja para exercer, deviam ser apenas: “demito-me”.

54.

54.
Patricia de Melo Moreira – AFP

55.

55.
Paulo Cunha – EPA

56.

56.
Patricia de Melo Moreira – AFP

57.  58.

59.  60.

61.

61 - LUSA

Perante o enterro das vítimas, está na hora de pedir desculpas. Não é assumir culpa, não foi a Senhora que causou o fogo, mas deve pedir desculpa aos mortos, aos moradores da região, a Portugal.

Isto não se trata de política, trata-se de dignidade, de confiança.

Isto não se trata de esquerda ou de direita, trata-se de sentido de dever, sentido de Estado.

Você não é Ministra. Você está Ministra, e a verdade é que com a extinção da última chama, já não devia estar perto desse cargo.

Entregamos a nossa confiança ao Estado para que o Estado nos proteja, e ao invés o Estado confia no povo.

Falharam gravemente. Já não há confiança.

Deve assumir a responsabilidade perante o que se passou.

Quem detém a responsabilidade perante as autoridades que fracassaram na protecção de 64 almas lusas deve ser responsabilizada.

62.

63 bombeiros galegos

Mesmo na hora em que mais precisávamos, os nossos irmãos galegos vieram para ajudar, movidos por uma força sobre-humana que os impedia de presenciar o terror na televisão. Organizaram-se e puseram-se a caminho.

A entrada deles no nosso território foi recusada por si, demonstrando a sua plena incompetência e a incapacidade da sua equipa em liderar com qualquer eventualidade que fuja ao status quo. Não sabem lidar como o que não se espera, logo não podem ter a vida dos Portugueses nas vossas mãos.

Não só perdeu a nossa confiança como dos nossos amigos, dos nossos vizinhos, dos nossos irmãos.

Como irão confiar em si na próxima vez? Nós pedimos ajuda aos céus, e a Europa respondeu, os Espanhóis responderam e vieram! E nessa hora disse que tinham “excesso de voluntarismo”, insultando a honra quando o que os chamava era das mais nobres das intenções: salvar vidas, salvar vidas Portuguesas.

63.

64 - Joana Bourgard RR

Demita-se Sra. Ministra. Não tem condições para governar. O povo já não confia em si. Não é só confiança no Estado e no governo, é a confiança que temos na Terceira República que está em causa.

Chegamos à severa conclusão que da maneira como isto está organizado, Portugueses morrem. Sem responsabilidade, irão morrer ainda mais.

64.

62

Demita-se Sra. Ministra, porque estamos fartos de ver o nosso país a arder e os nossos heróis a padecer.

Demita-se Sra. Ministra.

Demita-se.