Blog

Para que serve o Bloco?

O Partido alternativo, das coisas fofas e ainda mais alternativas, do tabaco, marijuana e das discussões ainda mais profundamente alternativas, continua a espalhar repelente para a sociedade portuguesa. Alguém minimamente com cérebro nas suas funções principais bem no sitio não atura isto! Alguém atura um Partido que coloca na agenda sempre barbaridades psicóticas e não discuta, se ainda sabe discutir, o essencial? O que é o essencial? Reformas estruturais, como vamos baixar impostos e onde devemos cortar despesa pública para que o impacte orçamental seja neutro. Como vamos reduzir o défice orçamental estruturalmente e sem “habilidadezinhas”?

O Bloco não responde a estas questões primeiro porque não consegue, não está interessado, quer o controlo da sociedade para os seus e implementar o regime único fascista de pensamento Trotsky. Aos 16 anos, o Blocozinho, quer que os miúdos tenham o direito a mudar de sexo e a processar os Pais tal isso não seja possível, ou seja, se estes o/a impedirem. O Partido das fofuras ilimitadas não tem mais nada que inventar? Não são cabecinhas assim tão criativas, até tem “catalisadores”, porque não apresentam um projecto lei de reformas estruturais? Espera ai….. Estou a sonhar, isso é em Países decentes.

Se é isto que o Bloco tem para oferecer ao País, além de um governo mais inerte que um calhau, porquê que se constituiu como Partido? Subvenções? Gritaria parola? Qual é o sumo que sai desta brincadeira?! Eu digo: BOLA. Além de termos mais papagaios falantes que o normal, somar a isto ao Partido das senhas de racionamento e das foices bem como os rosinhas, não é marxismo falante a mais? O projecto do BE é dividir a sociedade em dois: Nos que querem continuar a sua vida quietos e que querem trabalhar dos pirómanos reivindicativos de porcaria nenhuma. Chegamos ao fim do artigo e já se apercebeu caro leitor que o Bloco serve para quê? Para insuflar um Primeiro-Ministro usurpador, somente isso.

Mauro Pires

Anúncios

Uma tabela que mostra dois anos deitados ao lixo

Acho que já nem vale muito a pena estar a gastar latim, é precioso, para conceder qualquer tipo de adjectivos menos favoráveis, diga-se malcriados, a qualquer político português. Porquê? Porque eles pouco ou nada mudam, fazem nos de parvos, ou pensam que nós todos somos parvos ou somos alguns pombos que bicam o pão podre que eles mandam. Uma parte não é assim, outra é, porque o Estado lhes dá emprego e garantias que não perdem. Os funcionários públicos não tem culpa, culpa tem aqueles que lhes usam como arma eleitoral.

Nestes últimos dois anos perdemos a oportunidade de criar as bases para futuro, adoptar reformas que não tinham sido adoptadas, em vez disso temos um Primeiro-Ministro irresponsável que é equilibrado com um bom técnico que é Mário Centeno, com os seus defeitos e habilidades claro. Já repararam que todos, quase todos, os cronistas dos Jornais de referência falam a mesma coisa e se repetem quase todas as semanas? Ou seja, nós andamos numa quadratura do círculo, falamos sempre que Costa não faz reformas, mas tem crescimento, o défice diminui, a dívida bate recordes(já lá vou), e parece que andamos todos desesperados a justificar o sucesso, que não o é, do maior pilantra da história de Portugal.

Costa, hoje, faz o que nunca quis fazer, mas faz por obediência suprema ao que mais ama na vida: PODER, INFLUÊNCIA E DISTRIBUIÇÃO DE CARGOS, resumindo colocar a sociedade na rota do seu marxismo interior. Ele não tem vergonha, ele dá cambalhotas para justificar o que sempre quis e o que quer impedir, que Portugal seja um País livre das oligarquias, dos correctos, da maçonaria, dos Salgados desta vida. É isto que devemos de certo modo a Passos, não morro de amores por ele, mas entendo que a queda de Salgado podia ter sido o principio do fim das promiscuidades entre banca, política e negócios mas Costa quer  o Portugal da III República na mesma situação de lufa lufa lamaçal.

A aldrabice parvalhosa de Costa não acaba aqui, a subida do rating, injustificada para mim neste momento, afinal é só mérito seu. Agora as agências são fofas, belas e formosas já não são LIXO como Costa lhes chamou numa entrevista ao Jornal de Negócios( veja:  http://www.jornaldenegocios.pt/multimedia/negocios-tv/detalhe/costa_rating  ). Qualquer pessoa, não é preciso ser licenciada em economia percebe, que houve quem reduzisse o défice em 8% em 4 anos, quem colocou o País com saldos primários positivos( saldo orçamental excluindo-se juros), quem até, veja-se, reduzi-se a dívida pública em mais de 12 anos de continua subida de 130% do PIB em 2014 para 129% em 2015. Foi uma diminuição pequena, mas Costa fez melhor e continua a fazer magia, porque em 2016 a dívida voltou a aumentar tanto em valor absoluto como em valor relativo(percentagem).

Em 2017 a farra continua, a dívida pública desde que António Costa usurpou o poder aumentou mais coisa menos coisa como 18 mil milhões de euros. Repito 18 mil milhões de euros em 1 ano e 10 meses de governação como se pode ver pelos dados do quadro abaixo do Banco de Portugal:

gg.png
Período da posse até agora.

Depois temos a dívida pública descontando, líquida então, dos depósitos da administração central vulgo almofada financeira. Outro indicador preocupante que nos mostra uma subida de 17 mil milhões de euros nesse mesmo período:

gggg
Dívida pública líquida da posse de Costa à actualidade.

E chegando até aqui… Está tudo bem? O défice é o mais baixo de sempre e a dívida está a bater recordes, e temos agências de rating que já nem olham para o longo prazo, sim longo prazo, porque sem medidas estruturais não vamos crescer este foguetório de 2,8% em termos reais que aconteceu no 1º semestre deste ano. O défice vai descer nos próximos anos? Com as pressões orçamentais de Jerónimo e Catarina juntamente com os problemas de despesa pública que temos prevejo que não a não ser caro leitor que haja aumentos de impostos! Isso já é outra caldeirada. A dívida pode ficar este ano nos 128,5%? Pode! Mas porque o Governo vai usar a almofada de liquidez que tem para mascarar o monstro estatisticamente mais uns tempos, para o ano voltará a subir quer em termos de rácio(total de divida a dividir sobre o PIB do País que se traduz em %), quer em termos quantitativos ou absolutos(dinheiro, aquilo que está nos quadros acima). As agências não esperaram pelo OE de 2018, foram irresponsáveis.

Resumindo, o rating subiu? Deve-se a maioritariamente ao esforço pornográfico do povo português durante quatro anos de ajustamento e à perseverança de Passos Coelho. Costa? agradeça ao tino de Centeno que é o seu seguro de vida, pois este converteu o Anti Austeridade Costa Tsipras em fofo rigoroso cativações bem como ao irresponsável Mário Draghi do BCE que está a criar uma bolha no mercado de dívida. Sim caros leitores, hoje discutimos os méritos ou deméritos de Costa, já não discutimos o País, esse fica para depois das eleições Alemãs, que Merkel ganhará folgadamente.

Porca Miséria.

Mauro Pires

 

 

 

 

 

Um Memorial, Uma Empresária e os Donos Disto Tudo

É um dos nossos maiores problemas estruturais neste  País: Não sabe uma noção de capital nem muitas vezes para servir. Perseguimos quem o tem até ao inferno se para preciso. Quem é um criminoso, criminoso porque se paga por dificuldades de tesouraria, ora mais uma multa, ou usa outros taxa. Se fechar? É por incompetência! Nunca porque o Estado não é um Monstro de consumir os recursos dos outros!

BLASFÉMIAS

Há algo neste país que urge mudar. Sempre que alguém diz ser  empresário não falta quem o associe de imediato à ladroagem,  à exploração salarial dos “pobres trabalhadores indefesos” para viverem “à grande e à francesa com contas offshores”. Ser empreendedor em Portugal acaba por ser  um acto muito mais corajoso do que assumir ser homossexual. As empresas são vistas  como  algo nocivo para a sociedade que é preciso castigar e por isso são fortemente penalizadas quer ao nível laboral quer fiscal. Tudo isto graças aos idiotas úteis de sempre  que se deixam manipular e comprar a troco de poder político. Mas cabe na cabeça de alguém que matando galinhas se continua a ter ovos?

Se houver uma insolvência, ainda é pior. Não se questiona as razões que levaram a deixar de poder honrar compromissos. Parte-se de imediato para o enxovalhamento na praça pública sem dó nem piedade.  A este…

Ver o post original 1.622 mais palavras

Portugal está mais podre que eu pensava

Antes de falar propriamente da desgraça que hoje vi em Pedrógão, pela primeira vez, vou contar-vos o como e porquê deste artigo diferente dos outros que já fiz. Eu não gosto de políticos, detesto, mas por pragmatismo temos que sempre escolher um, que agora não vem ao agoiro, mas neste burgo à beira mar nós temos um problema mais que secular: O Povo português tem pouca instrução. Esta falta de instrução faz com que nós cidadãos comuns não tenhamos interesse nos problemas mais estruturais, digamos, do nosso País. Os nossos políticos com cartilha, existem excepções, pequenas, mas existem, aproveitam-se para lançar o baile da mediocridade. Podem dizer que vão distribuir flores eleitorais, enquanto estamos num poço sem fundo de dívida externa, podem demorar milhares de anos para entregar doações a quem devem, mas ninguém quer saber é sempre: ” Pois! Normal! São corruptos”, podem ser ou não corruptos mas eles, políticos, não tem medo das conversas de café e sofá.

Portugal não tem uma sociedade activa e que pressione a nossa classe política, é devido a este inércia que eles fazem o que querem quando querem. Daí eu, Mauro Pires, Cristina Miranda minha colega neste blog e escritora no blog Blasfémias, bem como o experiente ex-militar, formador e Bombeiro Luís Filipe criámos um movimento de cidadania para os cidadãos. Se queremos ter voz temos que nos associar, juntar, debater e especialmente discordar. É apartir da discórdia que formamos opinião. O movimento chama-se Não Nos Calamos e estamos a efectuar palestras por todo o País. Começamos em Viana do Castelo dia 16 de Setembro e vamos fazer um Tour do Norte ao Sul. Dia 23 de Setembro estamos no Porto, na Maia, para discutirmos o País.

Falemos agora na desgraça, no dia seguinte à palestra vim embora com o meu amigo e um dos fundadores do Movimento Não Nos Calamos para terras Lisboetas. O Luís quis me mostrar Pedrógão e o nosso 11 de Setembro em plena realidade negra. Num País civilizado, nem é País é mais Estado, ou com algum nível de decência já tinha retirado sinais de trânsito queimados ou árvores igualmente queimadas e caídas perto da estrada. Mas as televisões já se desinteressaram e já ninguém fala disto. Eu já sabia que era mau, mas a realidade é ainda pior. Nem tudo o que a comunicação social debita é verdade e já conhecemos uma das tristes realidades do povo, o que eles dizem está sempre certo. Mas não está. E sabem porquê? Porque o conhecimento, a instrução estão virados para o futebol e para todas as Piromanias possíveis.

A somar a esta podridão volto a dizer e a repetir: Onde está o dinheiro dos donativos? É uma pergunta que mais uma vez não é respondida.

Faço um apelo a quem é do Porto e arredores, venham conversar connosco! Perde-se um tempinho, mas ganha-se em conhecimento  e troca de ideias.

P.S: O evento no Porto é na Cidade da Maia no Quartel dos Bombeiros local, em principio. Estejam atentos à pagina do Movimento Não Nos Calamos (cliquem no nome, coloquem gosto e fiquem atentos)

Mauro Pires

Os Socialistas Capitalistas e Milionários

A Praga socialista é uma doença do século. Eles encantam, falam bem, dão beijinhos, dão abraços mas de produção. BOLA. O que é que são adeptos das causas sociais, mas um cada ano que passa, produz mais pobres em massa e única riqueza que sabem “criar”, é tirar dos bolsos dos outros e parasitar. Resumindo: CHINOS.

BLASFÉMIAS

Não há ideologia mais hipócrita que o socialismo. Sustentado pela teoria da defesa dos oprimidos pelo grande capital, a verdade é que mais não fez do que grandes milionários que viveram às custas desta narrativa falaciosa e interesseira cujo o objectivo foi, e é ainda, alimentar o poder das elites (e respectivos familiares) e suas clientelas. A História Universal, não mente e é implacável quando nos relata os factos: além de criar milionários, o socialismo matou milhões de seres humanos por questões religiosas, orientações sexuais, raças, etnias ou simplesmente por lhes fazerem oposição e ainda deixou os povos na pobreza. 

Da corrente original do socialismo científico de Karl Marx, já por si mortífera e violenta, nasceu o Nazismo de Hitler, um nacionalista socialista alemão e o Fascismo de Mussolini, outro nacionalista socialista na Itália. Se o “pai Marx” já era um burguês parasitário que vivia às custas da…

Ver o post original 715 mais palavras

Passos Coelho não está morto meus caros

Vamos deixar-nos de patetices politicamente correctas e de questões filosóficas inúteis que não interessam para boi dormir. Vamos ao ponto. Que tipo de políticos temos em Portugal? Vamos a descrições: Ignorantes, tem cultura, mas do socialismo de raspar o tacho, assaltam orçamentos, tem visão de curto prazo, são políticos de cartilha e amorfos não gerando empatia nem com uma sardinha morta. Além disso preferem sobrecarregar os seus eleitores com impostos e não cortam efectivamente despesa pública. É este o cenário com que trabalhamos: MEDIOCRIDADE.

Nestes 43 anos de democracia encapotada tivemos a “direita” a governar perto de 20 anos com períodos de reformas estruturais, períodos de crescimento e, no fim do Cavaquismo, inércia que levou à sua queda. Também houve erros porque tanto Cavaco como Mário Soares, o resto continuo, alimentaram o monstro chamado função pública que hoje atinge um peso na despesa pública que já ninguém comporta. Da direita à esquerda todos partilham da mesma ideologia: SOCIALISMO, muitos poucos escapam. O líder mais liberal, responsável e ético durante tantos anos até agora foi Passos Coelho. Gostem ou não dele teve espírito de sacrifício pelo País coisa que quase nenhum político português teve em 43 anos. Não é um mar de rosas, mas é um único farol de esperança em tanto lago de cobras onde nos metemos.

Nos quase 8 anos que Passos está à frente do PSD, Passos já foi dado como morto mais de mil vezes mas sobreviveu. Passos não ia derrotar o animal feroz Sócrates, derrotou. Passos não ia tirar Portugal do resgate onde outros o meteram, tirou(apesar de que a TROIKA podia ter ficado cá mais uns aninhos…), Passos ia perder as eleições legislativas e Costa ia esmagar, Passos ganhou com maioria relativa e ficou a 9 deputados da maioria absoluta depois da maior tempestade financeira de sempre, depois tem a imensa lata de dizer que o Homem está morto como o anão Marques Mendes disse nno passado domingo.

Sei que mexer na oligarquia socialista de esquerda e de direita em Portugal é morte certa, Passos mexeu logo é alvo a abater. Como já disse aqui no blog, se Passos está morto porquê que batem num nado morto? Se está morto não se deixa em paz? Ou será que o povo não é parvo e ainda se lembra que existe alguém que é decente mas salvou o País? Ou que Costa, a responsabilidade das palavras são minhas, é um severo aldrabão que fez uma “coligação” governamental sombra e não disse nada a ninguém?! E que não fomos ao fundo mais rapidamente, obrigado Mário Centeno, porque se continuo com uma política restritiva no orçamento, vulgo austeridade?

Se Costa faz o mesmo que Passos, mas mal, prefiro votar em quem tem intenções de mudar verdadeiramente o País para melhor. Sendo eu liberal, a direita portuguesa não é, mas acima de tudo pragmático, tenho que votar em alguém, e Passos com todos os seus defeitos mostrou ser um Homem confiável  e prestável para o País. Vai ser de novo Primeiro Ministro? Aposto que sim, mas se não for o País tem uma imensa dívida para com ele, e não é daqui a uns anos é agora! Porque esta estabilidade é fruto de trabalho, ainda que falta fazer mais, conjunto de Passos e de todos os restantes agentes económicos, empresas e famílias no seu todo.

Mauro Pires

Raquel Varela e Mariana Mortágua a mesma luta

O Mundo das artes e letras no geral é vermelho e rosa, ou de foice e martelo com cravos pelo meio, como queiram, o que interessa nesta equação é que são todos socialistas, outros com tiques mais totalitários, os vermelhos, outros com tiques totalitários escondidos por dentro mas são tremendamente fofos por fora, falo dos rosas vulgo PS( Entenda-se vermelhos o PCP). Os tiques totalitários do PCP já os conhecemos demasiado bem, os vermelhos tem sempre razão, todos estão errados, pode lhes cair um meteorito em cima que eles não mudam, continuam a ver o Mundo com senhas de racionamento e filas para a sopa. É isso que eles querem.

Além de tanto Vermelhos e Rosas não gostarem de produzir, e nem saberem o que isso é, quem sobe por métodos méritocratas é Passista, Neoliberal, fascista e Whiskas Saquetas edição limitada. Eles são Psicólogos, eles são Sociólogos, eles são Técnicos da Transexualidade da parvalhice, são eles que querem as praias todas para eles, são anti-turismo, anti iniciativa privada e a que é tem que distribuir para os seus. São estes os socialistas que se armam em capitalistas e uma delas é a Camarada Técnica Historiadora Raquel Varela. A Camarada, em tom parvalhal, disse o seguinte:” A AutoEuropa não produz riqueza(valor), só monta“, se isto não é de uma estupidez Neandertal, de uma barbaridade Sociológica podre… Como diz um filosofo cá do burgo:” Faxabor… Isto é a Peanears”, pois é claramente peanears pensar que a Camarada Raquel tem algum tipo de massa cinzenta. Talvez é a característica que a nossa Camarada Raquel Varela partilhe com o Imperador Parvalhal António Contente da Costa.

Eu acho que já nem é preciso citar dados económicos, impactos no emprego em geral entre outras coisas que a AutoEuropa tem em Portugal. Qualquer pessoa que tenha até um grau de escolaridade não muito grande, não é preciso ser uma Doutora Catedrática Varela, para se perceber que a AutoEuropa gera valor acrescentado. Só uma mente completamente alheia da realidade normal, estou a ser simpático, que me pode dizer uma coisa destas. Pergunta: QUE TIPO DE GENTE ESTAMOS A FORMAR NAS UNIVERSIDADES EM PORTUGAL? Será que a doutora Varela sabe que é com o rendimento que se gera com a venda de automóveis que a empresa paga os seus salários? A Raquel achava o quê? Que se pagavam com Caril? Chiça penico!

Falou-se tanto da Doutora Raquel, mas não falei da Mariana. Não é preciso, quando se fala da Raquel é dois em um, almas gémeas marxistas.

Mauro Pires

O Pântano está a voltar

Com o Mundo a mudar a velocidades rotativamente elevadas, os Países que não adoptem posturas pró-activas de reformas na estrutura da sua economia vão ser severamente penalizados no futuro. É muito bonito, fofinho e engraçado pensar-se no curto prazo espalhar-se flores bem cheirosas mas que no fim se transformam nos piores espinhos capazes de nos corroer até ao tutano. A irresponsabilidade orçamental e de política económica dos vários governos de esquerda e de direita no País, atingiu o apogeu da miséria com Sócrates, levaram ao estado em que estamos com constantes aumentos de taxas de abstenção. Dentro de poucos anos, só militantes e simpatizantes mais uns gatos pingados vão votar, talvez nesse dia o tino de certa gente possa aumentar.

Desde final de 2015 que estamos numa letargia de reformas estruturais assinalável. Fazer uma, reforma ou mudança estrutural, é adoptar políticas que atinjam determinados sectores da economia de forma a que estes apresentem um crescimento maior no médio e longo prazo e que estas tenham seguimento em governos seguintes. Não é justo para quem quer investir, que pensa sempre no longo prazo, pois quer ver ressarcido o capital investido, acabar com um reforma do IRC por exemplo e aumentar os custos desses investimento. Não é assim que se coloca um País a crescer. Não é com palhaçadas, uma comunicação social domesticada e bazófia de curto prazo que isto vai lá. As consequências de tal inacção estão a vir e bem depressa.

Os dados económicos não mentem e temos sinais já preocupantes nas nossas contas externas, ou seja, o registo contabilístico de entrada e saída de fluxos do País para o resto do Mundo. Ao querer repor rendimentos a uma velocidade incomportável, o Imperador Costa está a aumentar rendimentos acima da produtividade. Ou seja, aquilo que produzimos não chega para pagar devaneios Babilónicos Socialistas, logo tal rendimento fictício entregue à população é mais um prego no caixão nas nossas contas externas, pois assim está a sair dinheiro do País.

Em julho de 2017, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de, respetivamente, +4,6% e +12,8%. O défice da balança comercial de bens situou-se em 1 057 milhões de euros em julho de 2017, o que representa um
aumento de 446 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016. No acumulado destes 7 meses, temos um défice na balança comercial de bens de 7,7 mil milhões de euros mais 1,8 mil milhões que o ano passado como se pode ver no gráfico abaixo:

mmm
FONTE: INE( Instituto Nacional de Estatística)

Se este aumento do défice da balança comercial for de compra de máquinas o efeito de curto prazo é sempre negativo, mas de médio e de longo prazo não pois estamos a assistir ao aumento do valor acrescentado do bem que futuramente se vai vender e/ou exportar. Por outro lado, se for pelo cancro socialista da aquisição de automóveis e bens de valor acrescentado elevado que não tenham efeitos práticos na produção do País a nível futuro, podemos estar a voltar ao passado. E este quadro abaixo pode reflectir a situação:

ol.png
FONTE: INE( Instituto Nacional de Estatística)

No mês de Julho isolado temos  a importação de material de transporte e acessórios, destaco a importação de automóveis, a ter um crescimento bastante forte de 26%, mas no trimestre em geral, quadro direito, temos um crescimento da importação de máquinas com um crescimento bastante acentuado, logo estamos num momento de difícil avaliação. Neste momento é sinal amarelo, mas com o passar dos meses vamos ver o comportamento das outras componentes.

Se queremos crescer, dar o pontapé no socialismo de esquerda e de direita é essencial. Ponto.

Mauro Pires

 

 

Porque Existem Desigualdades Sociais?

A táctica do barulho do socialismo de Estado, seja de esquerda seja de direita, existem excepções claramente, só pensam em si e nas suas clientelas. O Orçamento está capturado, e para manter o poder há que distribuir a “massa”, depois logo se vê…

BLASFÉMIAS

A primeira das razões que leva um país a ter maior ou menor índice de desigualdades sociais são os Governos. Com as implantações das repúblicas inventou-se a política partidária e com ela a luta ideológica. Desde então não se faz outra coisa que não seja disputa de discursos mais ou menos pomposos para inglês ver, carregados de promessas vãs e mentiras grosseiras, para encher os bolsos de alguns, em vez de governar, gerir o país com seriedade. O resultado não podia ser pior: em 43 anos de  suposta democracia, aqui em Portugal, já fizeram 3 bancarrotas, todas lideradas pelo PS, a caminho de mais uma com esta sucata da geringonça. Ora não há nada mais destrutível para os cidadãos  do que ter no comando do seu país pessoas que só  o sabem falir.

Porquê? Ora tão simplesmente porque ninguém pode viver em prosperidade e equidade carregado de…

Ver o post original 743 mais palavras

Um Cata-vento Intermitente

Ele ora vira à esquerda ora vira à direita. Ora parece um doutor em Finanças, ora é doutor em agricultura. Por vezes é amigo do Costa, ora se tenta fazer amigo de Passos para o espírito de “união” e paz podre não caírem no esgoto. Marcelo é um Homem inteligente dando ar de Pirómano Neandertal, é homem de jogadas políticas brilhantes capaz do melhor e do mais maquiavélico, um Cata- Vento com espinha dorsal torta diga-se.

Marcelo quer, e precisa, de poder institucional superior a qualquer Presidente da República que passou pelo Palácio de Belém. Porquê? Porque efectivamente o contexto é diferente, diferente porque temos um Primeiro-Ministro a nível constitucional aceite mas que a nível ético deixa muito a desejar. Qualquer pessoa ficou surpreendida e indignada por votar numa determinada organização política, que ganha passados 4 anos brutalmente difíceis, vem um usurpador e estraga tudo. Sim indigna. E indigna mais sabendo que esse mesmo socialista usa o País para ambições pessoais de poder, não para reformar.

E aqui chegamos à questão que tanto faz irritar Marcelo e porque precisa de mais poder que outros. Marcelo foi inteligente ao perceber que pode usar a sua popularidade, mesmo que muitas vezes de forma parva e alarve, para conquistar um espaço superior ao do Primeiro-Ministro. Se Costa faz porcaria? Marcelo faz um reparo, e é o suficiente para o Aprendiz/Mestre de Sócrates ficar quieto num canto. Se Costa não reforma não é só porque tem parceiros de coligação que não o deixam, Costa precisa de um líder do PSD que seja insuflável, parado, quase que múmia e que lhe abane a cabeça para tudo o que quiser, talvez como um fantoche. Rui Rio enquadra-se nisso, daí a ânsia de Marcelo em querer deitar abaixo Passos.

Se Passos está morto, acabado e enterrado o porquê da esquerda governamental o insultar dia sim, dia sim e DIA SIM? Se está morto não se fala, ignora-se! Mas parece que existe algo que assusta a oligarquia socialista, comunista e trotsky. Marcelo precisa de um Primeiro-Ministro que lhe dê garantias pós Costa, porque o Pântano nenhum socialista de esquerda e de direita consegue resolver, e Marcelo erra ao não se aperceber que o único Homem que tem experiência em salvar o País, mesmo que com erros, está à sua frente. Pena que os ódios pessoais se sobreponham ao interesses do País.

Secalhar no fim de contas, Marcelo também vá na enchente… Não de água,  mas de Vento! O vento que tanto andou a semear contra outros. Precisamos de políticos decentes e o menos socialista, e até agora, só Passos convenceu, não digo o PSD convenceu, digo Passos porque este esteve sozinho durante 4 anos e sozinho levou o País a bom porto.

Mauro Pires