Autor: Luís Fernandes

A inconsequência das mentes (in)capazes

Primeiro artigo do ano, tenho de me desculpar por já não publicar há um largo período de tempo, porém nem tudo são rosas, mas com o novo ano chegou e como a mim me parece que isto pouco ou nada mude, decidi escrever um artigo, mais um artigo, em primeiro lugar para congratular o leitor, pois é de louvar conseguir aguentar 1 ano de governo socialista ou de esquerda e em segundo lugar quero congratular os partidos sentados no plenário na assembleia da Republica, todos eles sem excepção porque são todos bons rapazes (e raparigas, já sei que pode ser sexagésimo) e além de serem bons rapazes são pessoas muito ingénuas que votam leis ou alterações a leis, mas não sabem ao que votam, no que votam e porque votam.

-Bom, depois de analisar o meu primeiro parágrafo eu acho que a classe politica portuguesa sofre de questões existenciais, questões essas colocadas na maioria das vezes pelas crianças com idade inferior ou igual a 4 anos, a questão é simples, “o que faço eu aqui ?”, “porque estou cá”, estas questões básicas, digo básicas pela seu aspecto óbvio, pois em resposta são mais complexas, e parece que os nossos partidos, e os deputados que os compõem sofrem desta curiosidade incrivel pela filosofia e pelas dúvidas existênciais. Quando alguém que foi eleito para um cargo e esse alguém vota a favor de uma alteração a uma lei qualquer, e quando o povo vê que essa lei é menos popular, como ficam os “populistas” ? Claramente que metem os pés pelas mãos e colocam a questão que são elas, “E agora ? como vamos fazer para que o povo pense que nós afinal nem queriamos esta lei ?” aí entra a filosofia e a questão existencial que eu mencionei atrás, o individuo vai até a comunicação social, diz que nada sabia sobre a lei, votou e não soube porque… São de facto pessoas responsáveis estas, não é mesmo ?

O que é um intelectual ?

 

-Já passamos a época do natal, eu pouco gosto de compras de natal, também pouco gosto das musicas entediantes da Pull & Bear ou outras multinacionais que utilizam mão de obra escrava, mas tive que me submeter ao sacrificio de enfrentar todas essas musicas entediantes porque

eJwNyFEOgyAMANC7cABY2WjB2xAkyKKW0Ppldvf5Pt9trrmbxWyqQxbn1i6F52pFeeZWbWNue82jiy18uKyay3bUU8V5RAwQKBGkSIiv9FQM3kMCwvAMfIKjK747f-04m_n9AQO_IkQestava a procura de algo em especial, eu queria comprar um intelectual, só não sabía onde, eu fui perguntado a população que se encontrava no espaço, “Desculpe, por acaso podia dizer-me onde posso encontrar um intelectual ?” ao que me era sempre ou quase sempre respondido “Na esquerda” eu até pensava que estavam a gozar pois na minha esquerda estava uma casa de banho em manutenção, então sem o intelectual, fui até casa a pensar como ia fazer para encontrar um intelectual, ao que descobri que afinal a esquerda que mencionavam era a esquerda do espectro politico, eu nada disse, liguei a televisão, e estava o Arnaldo de matos a falar, segundo os presentes ele era um intelectual de Esquerda, quando tirei a carteira para ligar para o 760 bla bla bla (Queria adquirir a esfregona) ele diz que “Na revolução que se vai seguir os fascistas e opositores capitalistas vão perder o pescoço” bom após ele dizer isto eu pensei cá para mim, e foi uma atitude definitiva “Realmente em Portugal já não se produz nada de bom,e o que produzem querem fechar” mas fica a questão, o que é afinal um intelectual ?

Na imagem podemos ver um intelectual desses informados que comentam nas televisões e que são capa nas revistas cor de rosa.

 

 

 

 

O autor

Luís Fernandes

Portugal… dos pequeninos…

Portugal … dos pequeninos…

Titulo este bastante curioso, é pena que não só o titulo seja curioso, pois aquilo que vou por aqui escrevendo, dá que pensar, pelo facto de ter em si motivos que levem a tal curiosidade. Li e reli esta minha primeira frase do artigo, e fiquei para mim a pensar que é uma frase muito dificil para explicar uma coisa tão facil, não entendo, são estas duas palavras (não entendo) que vou usar hoje como palavras base para este artigo.

O que é que eu NÃO ENTENDO ?

-Bom em primeiro lugar gostava de destacar que os céus de Coimbra são realmente magnificos, tendo em conta a falta de chuva que temos presenceado, eu sei, eu sei, muitos vão questionar o facto de eu não estar em Coimbra e dizer o que disse, mas para evitar já esse tipo de refutação barata, adianto que a globalização é algo de maravilhoso, pelo menos para ver a meterologia numa cidade localizada a 300 e poucos km da minha localidade, mas vamos lá ao centro da questão, então mas o que se passa com o povo Português, concretamente na cidade de Coimbra ? Dois individuos a espancar um trabalhador honesto e a melhor coisa que os “operadores de camara” sabem fazer é gritar como se estivessem a afugentar um cão ? Eu sei que os autores da agressão foram de facto canideos, se não em corpo, pelo menos em tamanho cerebral, mas daí a usar sons extridentes para provocar algum tipo de reação daqueles seres é no minimo estranho para não dizer estúpido.

Pois mas ainda não disseste o que NÃO ENTENDES !

-Eu ainda não disse o que NÃO ENTENDO porque a PSP ainda não chegou… ok, piadas não são o meu forte… O que eu NÃO ENTENDO é o porquê das TV´s estarem a cortar no orçamento… Sim desde que aconteceu um espancamento em Coimbra por parte de membros de etnia cigana temos visto, jornalistas, jornaleiros, jornalixos e demais corja com o prefixo “jorna” a apressar os seus argumentos contra uma situação ocorrida lá num bar, já lhe chamaram de tudo, eu chamo-lhe pocilga, pelo elevado aglomerado de porcas concentradas num só sitio, e não, não estou a ser sexista, aliás, nada tenho contra porcas, mas pecuária a parte, vamos pensar, somos todos filhos de Deus, todos temos cerebro (menos os dois lelos adeptos da briosa.. e alguns individuos do BE, alguns também não o têm) num edificio de diversão noturna onde a cerveja nossa de cada dia tem a sua fiel presença e onde os excessos não existem porque tudo ali é normal e outras situações caricatas (casa dos bicos), como disse, nesse edificio é suposto ser uma missa de Domingo a tarde ? Quantas agressões não existiram, quantas brigas entre membros da “vara” não ocorreram, e até que ponto foi isso noticia ? Um homem que vai de manhã trabalhar, que pouco ganha e ainda é espancado, já é raro acontecer, digo, espancado por privados, já sabemos que o governo é perito em espancar a “classe trabalhadora”, mas é raro… Isto é de noticiar, de divulgar, de debater e de Abater, se não foi pelos “operadores de camara” presentes no local, que fosse pelos prezados agentes da PSP, que pelos vistos fizeram notar a sua presença (ou falta dela).

Agora que disse aquilo que não entendo vou tentar ser menos irónico e concluir que a culpa está longe de ser da Policia, essa merece ser apoiada, temos neste momento certos dogmas, na sua maioria se não na sua totalidade inseridas pela esquerda na sociedade que impedem a pessoa comum de fazer juízos de valor e até juízos de facto, tivemos um caso em que agentes da PSP prenderam pretos, e tivemos várias associações, incluindo o BE a processar os policias por racismo, xenofobia, e todo um leque de “PIDES” modernas, mas parece que a agressão destes dois ciganos (cadastrados) a um branco não chegou aos ouvidos da esquerda defensora dos mais pobres e dos TRABALHADORES… Enfim são as hipocrisias da vida.

E NÃO, NÃO ENTENDO este Grande Portugal que ficou reduzido a meio balde de nada.

Aqui eu fico, fico mas não paro.

O autor

Luís Fernandes

O desabafo de um Nacionalista

“Tomai as escolas, deixai os quartéis” o autor desta frase foi uma “célebre” personagem que há precisamente 100 anos iniciava um reinado de terror que se iria alastrar a quase toda a Ásia e Europa de leste. Eu sei que muitos de vós, que estão a ler isto não sabem sequer quem sou e pior que isso, nem sequer me apresentei, pois bem, tendo em conta o “estado atual das coisas” penso eu que o meu nome, a minha idade e tudo o resto são “interrogações secundárias” e sem um verdadeiro propósito.

-Quero agradecer ao Alves pelo convite que me fez e ao Mauro Pires por me ter aceite, mas voltando ao tema, devem estar lembrados que mencionei problemas primários e “interrogações secundárias” neste momento, não só em Portugal, mas o mundo, ignora sumariamente os problemas primários e vendem a “banha da cobra” como se fosse “aguardente para cabrões”, quero eu dizer que os reais problemas não são discutidos nos locais apropriados, pois para uma classe governativa repleta de bandalhos, é mais importante um movimento feminista que um aumento na taxa de desemprego.

Não é que os gajos tomaram mesmo as escolas ?

É ao acaso ou propositado ?

-Nao sei quem foi o autor desta frase mas admito a sua genialidade, “nada é ao acaso”, frase está, que se enquadra na perfeição, e neste (a)caso, posso dizer que a “iluminação”é pouca para o número contagioso de iluminados,vejamos, quando os MEDIA lançam uma polémica (com 2,3 ou 4 anos) mesmo a seguir ao assassinato de 50 pessoas nos incêndios terá sido ao acaso? Quando os mesmos MIDIA deixam de falar das manifestações na Grécia, da sua enorme crise e no grande descontentamento popular após a extrema esquerda “tomar o poder”, terá também isso sido ao acaso ? Parece que eu terei de referir a notícia que ontem passou por quase toda a imprensa escrita, “Hitler juntou-se aos nazis, após ser rejeitado pelos socialistas”. Todas estas manobras de diversão foram ao acaso estou a ver…

-Depois de escrever tudo isto olhei para a primeira frase e disse para mim “Fod@-se, eles entenderam mal ou o homem falava russo ? Ele mandou tomar as escolas, não foi os jornais e televisões…”

“O Reflexo da sociedade está na escola”

E por fim fica a informação secundária… O meu nome.

Luís Fernandes