O politicamente correto mata!

britain-london-bridge-fran-3-

A Europa está a morrer, e não está a morrer devido à guerra, aos ataques, à violência no geral. A nossa cultura, uma cultura de liberdade, sobreviveu a duas guerras mundiais. Duas guerras mundiais, não foram suficientes para quebrar a nossa cultura, quebrar a nossa Europa. Recentemente uma carrinha branca atropelou cerca de 20 pessoas na London Bridge. Três homens, que claro, contam as testemunhas, são de origem árabe, saíram da carrinha e começaram a esfaquear pessoas aleatoriamente. Facas essas que teriam à volta de 30 cm.

Os relatos contam ruas cheias de corpos, gargantas cortas etc uma imagem horrenda, como se de um campo de batalha se tratasse.

O Mayor  (presidenta da câmara) de Londres disse “temos que construir pontes, não muros”. Pois bem, é isto que acontece…

É este o momento, é este o momento em que temos que virar o jogo, os nossos governos não se estão a esforçar a fazer aquilo que mais importa, proteger o seu povo.

O interesse deles é agradar a certas minorias, certos grupos, para claro, ter mais votos nas urnas. Há relatos de uma cidade ao norte da Inglaterra, com uma rede paquistanesa de pedófila e estupro, infelizmente, este não é único caso na Inglaterra. A polícia, é claro obrigada a encobrir todos estes crimes, ou seriam de outra maneira chamados de racistas, xenófobos etc

No século passado os britânicos enfrentaram e derrotaram o imenso poder da luftwaffe. Recusaram se a desistir, e como disse Winston Churchill “Iremos até ao fim. Lutaremos na França. Lutaremos nos mares e oceanos, lutaremos com confiança crescente e força crescente no ar, defenderemos nossa ilha, qualquer que seja o custo. Lutaremos nas praias, lutaremos nos terrenos de desembarque, lutaremos nos campos e nas ruas, lutaremos nas colinas; nunca nos renderemos”. Foi um país que se recusou a desistir, e hoje caem de joelhos, perdem não só as batalhas, mas também a guerra.

Isto tudo porque têm medo de serem racistas, xenófobos. Porque têm medo do politicamente correto.

Será que o governo britânico, e até o nosso, está empenhado em proteger os seus cidadãos. Será que estão a fazer o possível possível e o impossível para descobrir onde estão os radicais, e impedindo-os de entrar cá?

Ou será que temos os esquerdistas a trabalhar com os radicais estrangeiros?

Relembrando que uma pesquisa (http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/1510866/Poll-reveals-40pc-of-Muslims-want-sharia-law-in-UK.html) mostrou que dos muçulmanos no Reino Unido, 20% apoiam ataques terroristas,peço desculpa meus amigos, mas são 20% de radicais, porque radical não é só aqueles que faz, mas também o que apoia ,e que 40% querem a lei Sharia no Reino unido. Lei esta que prevê que os maridos possam matar as suas mulheres em caso de adultério etc etc e portanto 40% de radicais no Reino Unido, porque uma pessoa que apoia este tipo de lei, não é certamente, um moderado.

E isto é o que tu és obrigado a sustentar, do teu dinheiro, este estado de bem estar social.

Portanto eu peço lhe que pense sobre o que escrevi, pesquise sobre os dados que apresentei que mostram que não, os muçulmanos radicais não são uma minoria, são quase uma maioria bastante significativa. Peço lhe que deixe de ser cego pelo politicamente correcto, que deixe de ter medo. Mas mais importante, peço lhe que lute pela nossa cultura, a cultura de liberdade, que tanto nos custou a ganhar e hoje perdemos. Perdemos a nossa liberdade de expressão, por uma censura que alguns teimam em não ver, a censura do politicamente correcto…

Anúncios