Autor: junny99

António Costa só governa para Lisboa… e mal!!!

Escreveu António Costa no Twitter “A #inovação não é um exclusivo das cidades. Em Trás-os-Montes temos ensino e investigação científica de alto nível. A chave do desenvolvimento de toda esta região é haver emprego e emprego de qualidade. Só com inovação conseguimos crescer sustentavelmente.

Ora, o que nos demonstra isto? Bem, em primeiro lugar o que sempre pensei, António Costa governa Portugal a partir do terreiro do paço, e com a sua fraca visão, governa apenas para Lisboa, esquecendo-se completamente do Norte de Portugal,e principalmente esquecendo-se que sem o norte seria impossível para Lisboa viver com todas as suas mordomias.

A chave do desenvolvimento de toda esta região é haver emprego e emprego de qualidade. Diz António Costa, mas, que emprego há em trás os montes? Não sabe o senhor que há milhares de vilas e cidades praticamente a ficar desertas porque não existe emprego além da agricultura. E isso não significa que sejamos preguiçosos, aliás muito pelo contrário, olhando as estatísticas somos das regiões do país com menos desemprego, mas porque nos agarramos a tudo, e não porque os empregos são bons.

É praticamente impossível abrir uma empresa em Portugal, devido às altas regulações e leis laborais (e garanto-lhe que deixando mais independência ao norte elas desapareciam), e principalmente aos altos impostos. Mas para que? Para que, se esses impostos não retornam. Como já disse, António Costa governa apenas para Lisboa, tendo então Lisboa direito a usufruir de grande parte da receita nacional. Nós ficamos apenas com as migalhas.
E quanto à pesquisa, sim é verdade, nós não precisamos de milhões de investimento para fazer algo relevante, e fazemos bem, muito obrigado.

Talvez seja por esse seu bairrismo, senhor António Costa, que nas últimas eleições legislativas, não teve nem 40% no distrito de Bragança e pouco mais em vila real. Aliás, há quanto tempo o PS não ganha em trás os montes mesmo?

Ah e já me esquecia, se acha que não existem cidades em trás os montes, fique com uma bela fotografia de Bragança, capital de um dos distritos de trás os montes

 

 

Foto de Rui Paulo: https://www.facebook.com/rui.paulo.1971

Poderá um Presidente Norte Americano voltar a ficar orgulhoso de Portugal?

Foram várias as visitas de Ronald Reagan a Portugal durante os seus dois mandatos. Mas, aquela que fez em Março de 1985 foi sem dúvida alguma a mais marcante. Em 1985 Ronald Reagan discursou na Assembleia da República, como sempre irónico e ácido começou, depois de uma salva de palmas bastante calorosa, por atacar a esquerda dizendo “Muito obrigado. Peço desculpa pois parece que algumas cadeiras na esquerda estão um pouco desconfortáveis”.

Mas o que me traz a fazer este artigo não é o humor do presidente Reagan, ou apenas a sua visita, mas sim o que ele disse aos portugueses naquele dia. Algo mais português do que muitos portugueses alguma vez disseram: “Não é de espantar que de tempos em tempos alguém olhe para uma pequena nação no séc 15, que se recusou a ir na direcção das outras nações a ser destruídas pelas inúmeras guerras, e que buscavam os conflitos. Ao invés direccionaram os seus esforços para a exploração, para se aventurarem em novo mundos, se atreverem a sonhar, acreditarem neles mesmos e no futuro. E esta visão, eventualmente dobrou o tamanho do mundo conhecido

Ora, o que podemos ver aqui? Ronald Reagan diz que os portugueses eram corajosos, inteligentes, com visão para o futuro, um povo que pensava no futuro ao invés de pensar no agora. Ou seja, tudo o que nós deixamos de ser. Aquilo que nos é atribuído como um mérito, já não faz parte de nós. Hoje os portugueses votam em governos socialistas, governos que como sabemos pensam no hoje, não no amanhã. Governos que gastam todo o dinheiro dos cofres públicos, para depois outro qualquer limpar a sarjeta dos canhotos.

Somos um povo que dobra os joelhos aos caprichos da União Europeia, perdemos a nossa coragem. E quando tivemos a oportunidade de mudar o mundo, tendo um primeiro ministro que estava a inovar, a dar que falar no mundo, os portugueses voltaram a queixar-se dos sacrifícios, voltaram a apenas pensar no presente e não no futuro, e deixaram-no ir. Enfim, penso que já demonstrei toda a minha desilusão como povo português actual. Somos um povo acabado, que perdeu todas as suas virtudes. Será que as voltamos a ganhar?

Júnior Alves

PS: Um Partido ou uma associação de amigos?

 

 

Vamos por partes:

  1. Vieira da Silva foi Vice-Presidente da Associação Raríssimas, aprovou contas, não sabe de nada. Check.
  2. A mulher de Vieira da Silva, deputada da Nação, viajou com a Presidente da Raríssimas com o dinheiro da Associação, mais uma vez, Vieira da Silva não fala com a sua mulher, além de mau ministro, é mau marido, outra vez, não sabe de nada. Check.
  3. Em Portugal não temos uma verdadeira rede privada de ajuda social, dependem sempre do Estado e da promiscuidade entre o mesmo, na Raríssimas tínhamos políticos na direcção, é este o País que temos. Check.
  4. Por fim, o PS não tem culpa de nada, Vieira da Silva não tem culpa de nada, não sabem de nada, são réplicas detalhadas do Governo Socialista de José Sócrates.

O PS é um Polvo muito extenso, um dos piores cancros de Portugal.

Júnior Alves

Vejam também no Canal Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=4HiBrGi4cU8

 

 

Costa só reverte o que lhe interessa

Reverter medidas? Que medidas?

1) A DBRS nunca classificou Portugal como lixo. E a nota daquela agência garantia o acesso ao mercado. Logicamente que a notícia da S&P é boa e esperada, mas insuficiente mediante a revisão da Moody´s. – motivo 1: crescimento económico, cuja componente é conjuntural. Já com o Governo de Passos Coelho houve crescimento económico. – motivo 2: desemprenho das exportações – estratégia escolhida por PPC, tal como o turismo; – motivo 3: melhoria do quadro estrutural macroeconómico: depois da limpeza de PPC, não havia como. Seria interessante que se parasse de usar o discurso de estupidificação das massas, comparando a crise em Portugal de 2010/2011, com o estado actual. Aliás, neste ponto há um esquecimento relativamente a idiotice da reestruturação da dívida, e surgimento do termo reversão de medidas. – Em abril de 2011 Portugal recebeu um empréstimo de 78 bilhões de euros da Troika. Para recebê-lo, engajou-se num programa radical de contenção do deficit público. Houve uma fuga de quadros para vários países, um dos quais, Angola. – As bases deste resgate foram o corte de despesas, o aumento de impostos e a privatização de empresas públicas. Com isso, o governo conseguiu reduzir o deficit público para 6,7% em 2011 e em 5,6% em 2012. – O anterior governo teve de diminuir o deficit de mais de 11% para 2,98% do PIB, isto enquanto o PIB diminuía fruto de uma recessão totalmente inevitável. – O PIB caiu 4% (no agregado dos 4 anos) o que significa que o deficit se reduziu não 7% mas uns 8% do PIB original que lhe servia de referencia em 2010. Serão reduções médias de 2% do PIB por ano, todos os anos, consistentemente ao longo de um período de 4. Algumas das medidas de Passos Coelho que alguns nunca que ousarão reverter: – Extinguiu quatro feriados – Diminuiu em 3 os dias anuais de férias. Eram 25 e passaram a ser 22. – Passou a punir as “pontes” em dias feriados. Exemplo: se o feriado é quinta-feira, as pessoas costumavam montar a ponte a sexta-feira? No máximo, o que tinham era um dia de trabalho descontado. Com Passos passaram a ser quatro os dias descontados. – Cancelou obras monumentais, e duvidosas, como o TGV que ligaria Lisboa ao Porto e o novo aeroporto de Lisboa. – Extinguiu 27% dos cargos dirigentes do serviço público e proibiu as nomeações especiais em todos os níveis da administração pública. – Extinção do “subsídio de natal”, ou “13o salário”, que era um pesadelo para toda finança pública. – As privatizações. O governo vendeu a empresários chineses as duas companhias de energia públicas, a EDP e a REN, por 3,3 bilhões de euros. Alienou a TAP. A consequente privatização desta companhia (hoje Air Portugal e por pouco da Carris (Lisboa) e da STCP (Porto), tal como do metro (esta é a grande causa da geringonça, impedir a alienação das empresas públicas ligadas a este sector. Quando isto ocorrer o Partido Comunista Português desaparecerá). – Com Passos foram “higienizados” um conjunto de bancos, dando esperança ao sistema financeiro; – Vendeu o sistema de operações aeroportuárias do país a uma empresa francesa por 3,08 bilhões. – A venda do estaleiro de Viana do Castelo. – Algumas mudanças feitas na regulação das relações de trabalho. São várias, mas elas tendem a favorecer o empregador, e não o empregado. Tal como no sector da energia. Isto captou investimento privado. – A extinção de 38% da estrutura administrativa do país, seja por meio da fusão, seja por meio da extinção, pura e simples. – Fim do “passe social” desregulado em transportes públicos e espaços culturais, para idosos e estudantes. – Fim da gratuidade em museus e espaços culturais, aos domingos. – A fusão de cerca de 400 escolas, o que diminui os custos de educação. – E mais, se Pedro Passos Coelho empobreceu o país, o seu antecessor faliu Portugal. É uma questão de lógica. Por isso, por vezes, acredito que se deveria evitar o discurso estupidificante. Quais destas medidas foram revertidas? E em que percentagem? Não vamos brincar a invencionice.

Conclusão, Costa não reverteu o essencial que faz com que hoje a Economia cresça, colhe os frutos de um modelo que não é seu. O problema, é que não sabe como potencia-lo. Depois a culpa é do “coiso”.

Júnior Alves

A verdade sobre as eleições de Angola!!!

As eleições em Angola decorrem aparentemente na normalidade. Mas, é esta a palavra chave, “aparentemente”.

A vitória do MPLA tem quase a vitória certa (como seria de esperar de comunistas, não gostam muito de abandonar o poder).

 

O próximo presidente de Angola será então, João Lourenço.

O que podemos dizer dele? Ora, foi secretário geral do MPLA. E esta envolvido do caso BES. Tem uma fortuna tamanha, que o banco disponibiliza uma caixa multibanco em sua casa.

E se calhar aquilo que melhor o caracteriza, foi general das FAPLA. Essas mesmo que quando a guerra ultra mar acabou expulsar/mataram todos aqueles que não eram nascidos em Angola. Penso que todos nós conhecemos alguma família de retornados, ou até daqueles que infelizmente não retornaram…

Claro para não mencionar os crimes já cometidos pelo partido.

A filha de Eduardo os Santos é uma das mulheres mais ricas do mundo. Aliás, todas as pessoas que orbitam à volta de Eduardo dos Santos, são incrivelmente ricas. Ainda pior se compararmos ao povo angolano, que apresenta um dos piores índices de pobreza do mundo. Com a maior taxa de mortalidade infantil do mundo.

 

Então e a UNITA? O que podemos dizer dela?

Um partido extremamente racista. Durante a campanha, o General Neto apelidou todos os brancos, mestiços e negros com misturas de “crioulos”.

Depois dos anos 80 a unita matou indiscriminadamente brancos angolanos.

Foi responsável por um genocídio em Angola, no que ficou conhecido como Estalinismo Indígena.

Criou campos de concentração, prisões e violações em massa para opositores. Seguido pelo seu amigo Savimbi, que criou fogueiras onde incendiou pessoas pó bruxaria traição etc como se viu na Europa no séc XVI.m

 

O dia vermelho para o bloco. 27 de maio. O general Neto mandou matar todos os Trotsykistas ligados dentro do MPLA, estando muitos deles ligados ao actual bloco. Virá daí o ódio do Bloco ao MPLA?

Além de ter mandado prender cidadãos brancos ligados ao PCP, claro que como bons comunistas, não comentam…

Isto meus amigos, é a oposição de do MPLA.

Percebemos então que o povo angolano tem que escolher entre bosta de burro e bosta de vaca.

 

Mas, e então quem ganhou?

Os resultados só serão revelados no para a semana. Mas, alguns resultados já começam a ser revelados de forma independente.

O PortugalGate sabe de fonte fiável que o MPLA perdeu oficialmente no Huambo (resultado vergonhoso, dois votos apenas) e Luanda do norte.

Nova informação independente diz que o MPLA perdeu em Luanda.

Possibilidade de detenções na capital devido a esta divulgação, a polícia tenta conter os tumultos, e, segundo informações do Maka Angola, a CNE suspende a divulgação de resultados

Afinal, o que teme o MPLA? O que temem os comunistas?

 

Vídeo sobre o assunto:

https://youtu.be/Bv4tgVEjSgU

P.S: Um grande obrigado ao nosso correspondente em Angola Ivan Negro.

 

O politicamente correto mata!

britain-london-bridge-fran-3-

A Europa está a morrer, e não está a morrer devido à guerra, aos ataques, à violência no geral. A nossa cultura, uma cultura de liberdade, sobreviveu a duas guerras mundiais. Duas guerras mundiais, não foram suficientes para quebrar a nossa cultura, quebrar a nossa Europa. Recentemente uma carrinha branca atropelou cerca de 20 pessoas na London Bridge. Três homens, que claro, contam as testemunhas, são de origem árabe, saíram da carrinha e começaram a esfaquear pessoas aleatoriamente. Facas essas que teriam à volta de 30 cm.

Os relatos contam ruas cheias de corpos, gargantas cortas etc uma imagem horrenda, como se de um campo de batalha se tratasse.

O Mayor  (presidenta da câmara) de Londres disse “temos que construir pontes, não muros”. Pois bem, é isto que acontece…

É este o momento, é este o momento em que temos que virar o jogo, os nossos governos não se estão a esforçar a fazer aquilo que mais importa, proteger o seu povo.

O interesse deles é agradar a certas minorias, certos grupos, para claro, ter mais votos nas urnas. Há relatos de uma cidade ao norte da Inglaterra, com uma rede paquistanesa de pedófila e estupro, infelizmente, este não é único caso na Inglaterra. A polícia, é claro obrigada a encobrir todos estes crimes, ou seriam de outra maneira chamados de racistas, xenófobos etc

No século passado os britânicos enfrentaram e derrotaram o imenso poder da luftwaffe. Recusaram se a desistir, e como disse Winston Churchill “Iremos até ao fim. Lutaremos na França. Lutaremos nos mares e oceanos, lutaremos com confiança crescente e força crescente no ar, defenderemos nossa ilha, qualquer que seja o custo. Lutaremos nas praias, lutaremos nos terrenos de desembarque, lutaremos nos campos e nas ruas, lutaremos nas colinas; nunca nos renderemos”. Foi um país que se recusou a desistir, e hoje caem de joelhos, perdem não só as batalhas, mas também a guerra.

Isto tudo porque têm medo de serem racistas, xenófobos. Porque têm medo do politicamente correto.

Será que o governo britânico, e até o nosso, está empenhado em proteger os seus cidadãos. Será que estão a fazer o possível possível e o impossível para descobrir onde estão os radicais, e impedindo-os de entrar cá?

Ou será que temos os esquerdistas a trabalhar com os radicais estrangeiros?

Relembrando que uma pesquisa (http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/1510866/Poll-reveals-40pc-of-Muslims-want-sharia-law-in-UK.html) mostrou que dos muçulmanos no Reino Unido, 20% apoiam ataques terroristas,peço desculpa meus amigos, mas são 20% de radicais, porque radical não é só aqueles que faz, mas também o que apoia ,e que 40% querem a lei Sharia no Reino unido. Lei esta que prevê que os maridos possam matar as suas mulheres em caso de adultério etc etc e portanto 40% de radicais no Reino Unido, porque uma pessoa que apoia este tipo de lei, não é certamente, um moderado.

E isto é o que tu és obrigado a sustentar, do teu dinheiro, este estado de bem estar social.

Portanto eu peço lhe que pense sobre o que escrevi, pesquise sobre os dados que apresentei que mostram que não, os muçulmanos radicais não são uma minoria, são quase uma maioria bastante significativa. Peço lhe que deixe de ser cego pelo politicamente correcto, que deixe de ter medo. Mas mais importante, peço lhe que lute pela nossa cultura, a cultura de liberdade, que tanto nos custou a ganhar e hoje perdemos. Perdemos a nossa liberdade de expressão, por uma censura que alguns teimam em não ver, a censura do politicamente correcto…