Os Caga Tacos do Assédio

Nenhum comentário

Hoje vou falar de uma coisa que aparentemente nada tem a ver com política, mas no final tudo se vai encaixar. Tive recentemente uma discussão com um amigo meu, discussão nada produtiva, diga-se de passagem. A discussão surgiu porque eu dizia que o problema do mundo era a falta de liberdade, já o meu amigo tem a tese de que o problema do mundo é o excesso de liberdade, principalmente no campo social, que faz o mundo desabar, para depois aparecerem os salvadores, normalmente autoritários, que trazem uma réstia de esperança às pessoas, depois de uma quase anarquia.

O exemplo mais concreto para ele foi a sexualidade, segundo a pessoa em questão a abertura da sexualidade terá ultrapassado todos os limites, e hoje grande parte dos jovens não passam de animais à procura de sexo, e que isso fez o mundo piorar muito. Parafraseando, “quando vejo jovens mulheres a dançar músicas sexuais (e atente-se que não falo de sensuais) vejo uma menina sem respeito. A partir do momento em que ela tem prazer com um homem, mesmo não estando numa relação, deixou de ter qualquer interesse para mim. Hoje vemos sites porno, jovens a saírem juntos de uma discoteca sem se conhecerem antes, e isso meu amigo é o fim da raça humana”.

Confesso que fiquei bastante confuso com estas afirmações, não fazem sentido algum, mas já lá vamos Perguntei então porque se uma mulher, jovem ou não, mas principalmente jovem se sexualizar deixa de ter respeito, a resposta dele foi bastante directa, “uma mulher deve-se conservar e não atrair olhares”, mais outra afirmação absurda, mas já lá vamos. Depois perguntei porque uma mulher que teve prazer com um homem com o qual não tenha uma relação amorosa, deixou de ser interessante, completou ele que era porque uma mulher que se deixa levar assim por um homem não é de confiança. Digo desde já que concordo com esta afirmação a 100%, mas não vejo onde entra o interesse nesta matemática. Comecemos então pelo início, “uma mulher deve-se conservar e não atrair olhares”, acho isso um absurdo, se uma mulher se quer divertir, ela deverá ter todo o direito disso, a forma como ela dança não deverá ser do âmbito de ninguém, e portanto seja a maneira de ela se divertir, dançando valsa ou funk brasileiro (e, atenção, não entro aqui na questão da qualidade musical), diz respeito apenas a ela, e isto trata-se apenas de uma questão de liberdade.

Mas também devo acrescentar que a liberdade vale para os dois lados. Uma mulher não se pode queixar então que os homens vão estar a olhar para ela, afinal também é da liberdade deles. E muito menos pode reclamar que vários homens a abordem, e atenção novamente, abordar é diferente de incomodar, e mesmo de estuprar, vamos ter noções…. Indo para o seguinte comentário, o meu amigo diz-me que uma mulher que se deixa levar facilmente perde o seu interesse , aqui eu concordo com ele, não iria namorar uma “rodada” (como se diz no termo popular), mas discordo dessa conclusão. Porque o facto de eu não gostar de namorar uma menina que já esteve com vários homens ( e sim, eu acho que o passado importa para começar uma relação, mas isso é outro tópico) eu entendo que isso se trata de uma opinião minha.

Seguindo nos outros comentários expliquei que o ser humano está programado para ter relações sexuais, e que o facto de que as mulheres não terem tantas relações sexuais com parceiros diferentes não é uma questão de organização social, mas sim biológica, uma vez que não estão programadas para isso, mas estão os homens. Mas claro, disse também que por questões filosóficas o sexo feminino também tem os seus desejos, muito mais racionais, disso ninguém duvide, e por isso também, uma vez ou outra, os vão querer saciar. Não vale a pena querer que a raça humana seja feita de santos, ou estaríamos a cair no mesmo erro de Karl Marx, achar que a humanidade é perfeita.

Não digo que o meu amigo não esteja certo no que diz, mas eu tenho a decência de entender a biologia e psicologia humana, e mais importante, entender que estas questões fazem parte do fórum pessoal. E no fim, expliquei que ao contrário do que ele diz, a libertação não vai ser o fim da espécie humana, aliás, muito pelo contrário, alguns dos maiores impérios que o mundo já viu, foram também dos mais abertos sexualmente. Como Roma, Macedónia, Persas, e a própria inglaterra da Rainha vitória, que foi nos tempos modernos, o mais “selvagem” que já tivemos.

A resposta que ele deu foi que todos esses impérios acabaram por cair,o que é verdade, esqueceu-se ele que cair exactamente quando os valores que ele hoje quer manter foram introduzidos. Aliás, não faria sentido nenhum que esses impérios tivessem caído por não renunciar à biologia. E como diria o filósofo Piton “tudo que nós fazemos tem como objectivo comer alguém”, as palavras mais sábias que já li.

E é aqui que me reencontro com a política, porque tudo o que este governo de António Costa faz é comer o nosso rabo, e nem se dá ao trabalho de usar vaselina, ALLA professor Taveira. “Pronto, pronto, não dói, não dói, tudo lá dentro no ** dos portugueses queridos”, António Costa ou “É grande não é ( o novo imposto)” Mário Centeno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s