Não queremos um Primeiro-Minúsculo em abstracto

Nenhum comentário

O PCP vendeu o corpo e a alma ao diabo. Vamos por partes. O Diabo não precisou de aterrar em asas de Cristal e um qualquer ceptro malévolo, o Diabo chegou em Novembro de 2015 de seu nome António Costa. Esta é uma verdade, pelo menos na minha óptica, inquestionável, porquê? Se tens um Primeiro-Minúsculo não eleito que chega à governança do País, com mero intuito de preparar um plano de fazer de marionetas os seus coadjuvantes de esquerda para mero espectáculo eleitoral, depois, lá está, criam-se mitos à volta do Grande Imperador e negociador Costa, cuja palma da mão equivale a um Rei Midas de chumbo.

Não interessa ao País ter um conjunto de pernetas a desgovernarem o que é supostamente difícil de governar, só causam sentimentos de euforia generalizada como se de uma ingestão de marijuana se tratasse. Podemos estar com ironias, mas o País precisa, urgentemente, de reformas, não de uma criatura cínica que calcula todos os passos que dá mas, mesmo assim, tanta habilidade política não conseguiu gerir um crise de professores, pelo menos em abstracto. Em concreto António Costa sabe gerir o poder, mas em Abstracto não sabe gerir um País, uma coisa é ser se aprendiz de Primeiro-Ministro, outra é sê lo concretamente, não em abstracto.

Uma coisa são constantes jogadas de bastidores para ver quem fica com os méritos da medida mais populista e socialista da semana, outra é ter de aguentar um barco no meio da tempestade estando este cheio de buracos deixados por uma criatura pensante que se refugiou em Paris e Costa, estavas preparado para isto? Estás preparado para quando o teu amigo da Candonga, vulgo Camarada Jerónimo, te comesse a soltar os cães de fila? Estás preparado para aturar as pressões orçamentais do Partido do Estado e fazer equilibrismos orçamentais? É chapa ganha e chapa distribuída? Ou é chapa esfola e chapa mata? É que adicionares mais umas décimas ao défice é aumentares o tecto de endividamento, brutal, dos maiores do Mundo, que já temos. É engraçado e triste ao mesmo tempo como hoje se discute se podemos aumentar o défice, uma décima ou duas, se temos um stock de dívida de 132% do PIB! Devíamos estar a pensar em termos superávites orçamentais e reduzir a dívida para níveis sustentáveis, descendo impostos no futuro próximo, esta devia ser a nossa prioridade, não como podemos arrebentar os privados com mais umas taxinhas para satisfazer os mesmos de sempre.

Se Costa não é capaz de fazer e aprovar uma reforma para que serve este ao País? O PCP já está nas ruas a desgastar o seu amiguinho de conveniência, afinal a paz social não era um consenso comum entre a troika de esquerda, o consenso era Passos Coelho que era a cola de geometria variável canhota, esta é outra verdade. Há dois anos disse que, Passos uniu a esquerda para destruir, secalhar não está assim tão longe de o conseguir. A Paz social afinal era podre… Que Novidade!

Mauro Pires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s