O jantar dos mortos

A lata de António Costa é de proporcionalidade directa aos seus erros gramaticais na fala do português, e já agora, do Inglês. Como sempre, como em todos  os dias, meses e anos, a culpa não é dele, do seu rebanho, do seu ajuntamento de cabeças ocas, mas sim do outro, do sinistro qualquer, desde que seja de Massamá está tudo bem, mas a culpa tem que ser do outro, esse outro todos sabem quem é, mas já não vale a pena a referir nomes, qualquer um percebeu, depende, o doutor Costa carrega sempre no mesmo botão, está lá um símbolo de Coelho, que dá uns Passos, e depois Costa, insistentemente diz: «É claramente e “Prelanemente” culpa do Passos que é Coelho”, pensa o principiante de Primeiro-Ministro.

Costa diz que não quer jantar privados em lugares de notáveis ou de figuras notáveis onde estas descansam no seu, merecido, repouso eterno. Caro Costa, a sua habilidade de Circo é geometria ilimitada, mas tem um limite de engano geral, podemos enganar um pato durante um tempo que ele não vai para um qualquer banquete de Cascais, mas ele vai. O Doutor Costa, ou coisa parecida, nomeou em 2016 a Sra. Paula Silva, Directora Geral do Património Cultural, que autorizou a festa no Panteão Nacional e que é tutelada pelo Ministério da Cultura.

Mas não, a culpa é do outro, é daquele que não vai de férias para Palma de Maiorca quando a dificuldade aperta, é daquele que vive em Massamá, não é Costa? Admite lá, se és tão inimputável quanto dizes, o porquê do Senhor e ilustre Presidente Marcelo se estar a afastar, passito a passito, de ti? Será que a abóbora que nasceu torta e que se estava a endireitar está a apodrecer? Onde estão as habilidades mágicas caro camarada? Se basicamente aprovaste, em si não estiveste contra, os jantares em Panteão, foi aprovado no teu mandato, agora queres retirar dizendo que é indigente. Se não era indigente antes o porquê que é agora?

Nomeaste quem aprovou isto, a batata quente é tua, não tentes fugir António, nadar até à Costa por vezes é fatal.

Mauro Pires

Anúncios

2 comentários em “O jantar dos mortos

  1. Muito bem, Mauro Pires, muito bem.
    E acrescento que tudo isto não é mais do que atirar areia aos olhos das pessoas, principalmente os mais ingénuos e incautos, na esperança de desviar as atenções do que está acontecer num hospital infectado de legionelas. Para isto, ele dá a cara, para outras coisas mais graves, não.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s