Sócrates e o conto do VIGÁRIO

Nenhum comentário

Estava a jantar quando soube que o animal feroz psicótico, engenheiro aos domingos, controlador da comunicação social nos tempos livres e banqueiro sombra no resto da semana, ia ser entrevistado na RTP, a estação de comunicação social PÚBLICA, repito, uma empresa pública que é mantida com o nosso graveto, dinaro, dinheiro e que ainda por cima instrumentalizava a dita cuja nos seus tempos de terror enquanto Primeiro-Ministro Khadafiano mor aqui do reino dos passivos. Sinceramente não vi a entrevista, não tive estômago nem paciência nenhuma para ouvir uma pessoa que já merecia ser internada faz tempo, mas como vi vários vídeos nas redes sociais a representarem um Mao Tsé Sócrates no seu ideal não resisti ver um. Já sabemos que ele não muda, continua igual, detestam que lhe contradigam ou apontem factos que lhe toquem no centro, no miolo na carapuça da questão e logo o ditador tira as garras para fora. Nisso Sócrates nunca mudará, o pior, é como foi reeleito em 2009 com tantas evidências contra ele como escrevi neste meu artigo de há poucos dias.

Numa passagem muito breve de um vídeo que vi, Sócrates estava histericamente incomodado com a pergunta do jornalista Vitor Gonçalves da RTP, onde este lhe pergunta sobre como Sócrates vivia a nível de rendimentos e como estes são compatíveis com o seu estilo de vida Salomónico, o ditador disse que o jornalista, diga-se, o País, uma vez que estava em directo, não tinha que saber nada disso, e utilizou a fuga para a frente Socrática de que os seus rendimentos eram somente da sua pensão de deputado. Vamos lá a contas para as gargalhadas não inundarem o nosso raciocínio, se Sócrates vive plenamente dos seus rendimentos de reformado, neste caso à volta de 2400 a 2500€, como Sócrates sustenta a renda da sua luxuosa casa no Edifício Heron Castilho em Lisboa? Só um dos edifícios mais luxuosos da capital… Com  uma renda talvez perto dos rendimentos do ditador ou até maior. Mas não fica por aqui, a pensão do ex-deputado Pinto de Sousa, vulgo Sócrates, como deu para viver em Paris?

Isto não são contradições Socráticas a mais? O pior disto tudo é que ainda existem membros, Ministros, do actual governo que fizeram parte do Governo de Sócrates, tem o mesmo estilo bafiento do mesmo, incluindo o seu ex-braço direito e actual Primeiro-Ministro António Costa. Portugal promove a mediocridade, a mesquinhez, as festas embriagadas, a factura? Não interessa, logo se vê! Se a factura deixada por Sócrates em controlo da comunicação social, Bancos, promiscuidade entre política e negócios de grosso modo diminuiu desde a sua saída, o socialismo económico continua com os seus discípulos governamentais. A factura de Sócrates está ainda viva, é pesada, mais pesada que todas as outras anteriores, a factura da dívida, essa sim vai nos tramar, mas especialmente vai tramar aquele que está nos píncaros da governação actual.

A história vai se encarregar que colocar José Sócrates como o pior governante em 900 anos de história de Portugal, é só não distorcerem as coisas, será difícil?

Mauro Pires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s