Os políticos portugueses não aprendem

Nenhum comentário

Pedir juízo ou qualquer coisa parecida a uma espécie que não sabe, percebe ou não quer entender o que é isso é como falar para um burro que olha para um Palácio de ouro, estão a olhar mas falamos para o vazio. A qualidade dos políticos portugueses, se fossemos a classificar por rating, era num lixo ainda mais entranhado, ali perto do fundo da coisa, onde está o “sumo”, a qualidade é tanta que aqui no burgo, numa das piores autárquicas de sempre, as promessas estapafúrdias se já eram lamaçentas, agora estão ao nível da lixeira. Aqui no meu distrito, Setúbal, mais propriamente no concelho de Setúbal em si, um candidato do PAN disse que queria criar uma nova moeda local com o nome “Roaz” em referência à espécie de golfinhos aqui da região.

Vamos pensar um bocado, racionalmente para não nos rirmos, o PAN é um partido que vai buscar os seus quadros aos acampamentos do BE? Vivem neste Mundo? Isto por acaso é o Zimbabwe com moedas paralelas? Como chega à conclusão que é necessário uma nova moeda local? Porquê? Que estudos e impactos se fez nesse mesmo estudo? Existe estudo?! Resumindo, eles tem mioleira? Em que faculdades é que esta gente tira o “canudo”? Isto parece tudo muito irónico mas é a sério, que tipo de políticos estamos a produzir para estarem a dizer tanto disparate em tão pouco tempo? Isto é ultrajante, porque eles todos pensam o mesmo que o Partido usurpador rosa pensa: ” Esta gente é tudo patos”, e é verdade. Eles pensam todos que somos burrinhos ou qualquer coisa parecida, o pior é que a resposta não vem só em voto como veio em 2015 vem em abstenção, que já devia ter representação em lugares vazios no parlamento.

A juntar a esta pérola da minha região, temos o autarca do PS em Coimbra que quer um Aeroporto na região. Tendo o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, de Lisboa, o das moscas no Alentejo e de Faro para quê mais um? Em que base real esta gente defende o seu “projecto”? Isto é tudo muito interrogativo, fofinho e fabuloso, mas temos uma dívida pública de 132% do PIB. Temos défice orçamental, ou seja, vivemos do dinheiro dos outros e se nos emprestam dinheiro temos que viver com o que temos, é simples, básico, mas o socialista de esquerda ou de direita não percebe o básico: VIVER DENTRO DAS NOSSAS POSSIBILIDADES.

Caso mais grave que estes os dois, mais ético e moral que financeiro, é a mais que provável reeleição de Isaltino Morais no concelho de Oeiras, um político com a ficha criminal suja e que saiu da prisão há poucos anos. O argumento de muita gente, que oiço claro, é que ele fez obra, derrepente quando vejo os exemplos de cima do Aeroporto e da moeda nova até penso que gostamos de ser gozados. Mas pronto, quando chegar a altura de pagar a factura o povo dirá:  Que “passou-se”? E Isaltino não tem valores quaisquer em sondagens, podemos desconfiar sempre, mas estão perto dos 40%. Isto é Portugal, terra cheio de bananas numa República das bananas.

É o chamado tempo “novo” caros leitores, o tempo onde o Presidente da República de Portugal vai  visitar Angola e vai tomar banho à praia. Batam palmas, ele gosta, continua o circo.

Mauro Pires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s