As Fantasias Sexuais de Catarina Martins

Eu não levo o Bloco a sério. E não levo a sério quem o faça. Para mim, o Bloco de Esquerda nasceu de uma brincadeira entre amigos que foi levada demasiado longe. Mas agora, 550 mil votos depois, é tarde o suficiente para ninguém o querer admitir. As atividades parlamentares do Bloco só evidenciam esta tese. Parece que o partido quer até mostrar deliberadamente que a sua existência não é para ser levada a sério, na esperança de que o público o subentenda e redirecione o seu apoio.

Esta minha conjetura é fundamentada, ou não fosse que numa nação a arder, cuja dívida pública é 130% do PIB, as preocupações do Bloco recaiam sobre a omissão do sexo de um indivíduo no Cartão de Cidadão. E se o leitor não percebeu onde está o sexismo em ‘Cartão de Cidadão’, é porque provavelmente também ele é sexista. Já agora, se for branco, também é racista, e, pelo sim, pelo não, neonazi. Deve já remediar-se frequentando o purgatório que são os campos de férias do Bloco. Mas já aí vamos. Felizmente, o Bloco é o único partido que responde a esta questão crítica, e, ávido, até já propôs retirar o nome ‘Cartão de Cidadão’ ao Cartão de Cidadão. Genial.

Isto poderia facilmente ser uma narrativa de humor, mas não o é. Querer mudar o nome ‘Cartão de Cidadão’ por causa de ‘Cidadão’ e omitir o sexo do titular do mesmo são efetivamente propostas do Bloco. Aliás, ambas as medidas não são mais do que um preâmbulo ao objetivo-mor do Bloco este ano: a auto-determinação do género. Era aqui, a desafiar a ciência, que os seus adeptos deveriam perceber que, obviamente, este Partido não é uma coisa a sério. Mas surpreende-se o Bloco quando acaba, involuntariamente, a receber mais apoio ainda! Foda-se. Agora não só tem de fingir que é útil, como de facto tem de ser útil na defesa de pseudo-ciência criada por gente tão inútil para o mercado que só teria ocupação se se criasse uma ‘Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género‘.

A coordenadora do Bloco, Catarina Martins, que é atriz, pede chuva no twitter e dá os bons dias no facebook. É aquele elemento de boas intenções mas limitado pela sua inutilidade, reduzindo-se às ações redundantes que não têm grande impacto no resultado final. Quando Catarina fala requer-se um esforço mental semelhante ao de perceber as ideias de uma criança. Por exemplo, a Catarina diz preferir ser operada por um cirurgião não testado mas feliz [ver 6]. E, para o Bloco, um cirurgião feliz é aquele que teve estudos de género no quarto ano, mas não exames.

Já notou o curioso?

O Bloco de Catarina parece ter um qualquer fetiche pelo vitimismo. Também fantasia o totalitarismo e vive obcecado com o controlo da linguagem alheia. Como se o seu objetivo fosse o de instalar uma ditadura comunista (passo o pleonasmo) especializada na vida sexual humana. Entende-se que o cariz sexual está para o Bloco como animais estão para o PAN.

No Bloco de Catarina, uma criança com 16 anos não pode votar, mas pode mudar de sexo. Para o Bloco de Catarina, Jesus tinha dois pais. Até as bebidas que a Mortágua paga a homossexuais no PRIDE decorrem em representação publicitária do Bloco de Catarina.
Concluo apenas que o Bloco de Catarina é um partido pornográfico. E isso torna-o tão apelativo aos jovens que culmina num culto chamado campos de férias do Bloco.
Os campos de férias do Bloco são a demonstração mais evidente de que aquilo funciona um pouco como uma creche. Todos os anos, a juventude bloquista junta-se para se ocupar a ser inútil. Nús, fazem danças e pinturas, culpam o insucesso económico de África no neoliberalismo, andam de gatas e de gatas discutem pseudo-ciências que desafiam a biologia evolutiva. É uma espécie de Avante, mas onde gays fazem felácios sem espancamento procedente.

Sobeja uma questão. É evidente que o BE nasceu de uma aposta feita entre amigos; portanto, como é que sustém apoio?

O Bloco consegue seduzir aqueles miúdos-grandes de baixa auto-estima, super-protegidos pelos pais que nunca lhes permitiram passar por dificudades. Funciona numa geração de satisfação instantânea e onde o ‘accomplishment’ se resume à participação.
Estes miúdos aprenderam a viver num conforto familiar redundante e não abdicam de perder tais privilégios na adulteridade, pelo que pretendem ver reproduzido no Estado o papel de pai. O Estado, obviamente, aceita o título satisfeito. Liberdade exige responsabilidades, e esta geração não está preparada para autonomia porque tem fobia em assumi-las.

Se o Bloco quer perder o apoio, como parece, o que tem a fazer é tão simples quanto propôr a antítese do seu plano atual. Isto é, falar na exigência de empregos, idealizar uma sociedade baseada no mérito, desvalorizar a subsidio-dependência e limitar o poder do Estado. Falar em trabalho faz os bloquistas fugir, pelo que se dispersarão noutros partidos.

À imagem de Catarina, o Bloco trata daqueles assuntos sem importância. Assuntos que deviam derivar de um processo evolutivo natural à sociedade, com um consenso generalizado, mas cuja implementação o Bloco pretende forçar através de poder político – como um bom fascista faria.

Este ano, chegou mais longe na sua auto-descredibilização e desafiou factos científicos estabelecidos ao assumir-se apologista da auto-determinação do género. O que faz sentido, ou não fosse este um Partido que só queria ser uma partida.

Anúncios

14 comentários em “As Fantasias Sexuais de Catarina Martins

  1. Pelos vistos para a Catarina Martins, com a igualdade do género, é igual pedir “uma bica e um queque” ou pedir “um bico e uma queca”.

    Curtir

  2. Aqui a verborreia do disparate da direita desesperada.
    Chamar de creche aos campos de férias do Bloco de esquerda como defeito, está tudo dito.
    Palermices!

    Curtir

    1. nem mais. texto sem qualquer sentido critico e construtivo. apenas diarreia mental de quem quer dar nas vistas. completamente vazio de conteúdo. ( nota: não tenho partido politico, nem sou de esquerda ou de direita, sou apenas alguem que pensa por si. )

      Curtir

      1. O texto tem todo o sentido. O bloco é de facto uma associação de amigos e de pequenas formações partidárias que se demarcam da realidade.

        É ver a Catarina, a deputada europeia e outros. Para eles não há amanhã, é tudo hoje…..

        Enfim, uma palhaçada!!!

        Curtir

  3. O problema destes corneteiro e corneteiras é defenderem a igualdade do género cá fora mas lá dentro a percentagem de deputadas é ínfima e de mulheres no governo ficamos na mesma. Ao menos que se ocupem em estabelecer uma percentagem de assentos e ministérios (por exemplo cinquenta por cento) que sejam ocupados por mulheres.

    Curtir

  4. Já fui do bloco de esquerda.

    Até perceber que apoia terroristas como o hamas. A sua filosofia é
    comunista, e o comunismo é uma doença.

    Acho que a cannabis devia ser vendida legalmente em coffee shops, mas
    isso pode ser decretado por um partido governamental qualquer, além disso
    não é uma prioridade para o país.

    O bloco tem gente que a acredita que o problema na sua vida é o capitalismo,
    mas ignora que a ideologia comunista do bloco é MUITO pior que qualquer
    país “capitalista”.

    E já agora, não me revejo representado por nenhum partido.

    Curtido por 1 pessoa

  5. A Internet é como uma cidade desconhecida num país em desenvolvimento… viramos na esquina errada por curiosidade e quando damos conta temos lodo até aos joelhos.

    Curtir

  6. Não merece apena gastar tempo a comentar pessoas e partidos que não valem nada
    No dia que esta gente fosse governo , enriquecia e logo a tese do bloco tinha que mudar ou então contradiziam se

    Curtir

  7. Não é por acaso que defendem com tanta veemência a Dilma, Lula e o PT, afinal comungam da mesma ideia sobre
    ideologia de gênero, da mesma imbecil ideia de que todos nascem iguais, o sexo é definido pela sociedade, de que menor assaltante, estuprador é vitima da sociedade e merece colinho do estado, que amamentar na rua é crime, mas mostrar mamas e cús em protestos feministas é arte. Enfim, a amizade entre Lula e Sócrates, Catarinas e Dilma não é coincidência, é corrupção e destituição da moralidade e da familia.

    Curtir

  8. Vão limpar as matas no próximo ano e talvez os vossos cerebros fiquem mais oxigenados.Todos ,os da esquerda e direita e assim digam menos disparates dado que o que leio acima não passa disso.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s