João Quadros, a moldura de uma comunicação social decadente

A comunicação social portuguesa é bastante inovadora, diga-se. Adora certas originalidades como fazer um debate entre dois oponentes de áreas políticas diferentes, muito bem, mas interrompe sempre os argumentos de uma certa área política, a direita. Sempre que se fala alguma coisa incómoda neste reino a cair aos bocadinhos, é para calar, silenciar, inventar factos e explodir em mentiras. Se temos um João Galamba em debate contra um Adolfo Mesquita Nunes, quem estará em vantagem? O Galamba! Porquê? Porque tem o colinho de sempre e a protecção das teias da comunicação social. Quem devia, em principio, estar em vantagem, era quem apresenta-se melhores argumentos e tivesse um cérebro em questão, não conste que o Galamba tenha Cérebro portanto, portanto o caro Adolfo estaria em vantagem para um debate contra o senhor Galamba e isso de facto acontece, quando alguém idóneo de qualquer área política desmonta o discurso da esquerda radical(PS+PCP+BE), os moderadores vão logo em socorro, de quem? Da esquerda caviar.

De Caviar podemos extrair daqui muita coisa, mas em termos políticos talvez piromania, parvoíce, malcriadez, javardice e incapacidade de contra-resposta ao ver que ficou sem pé. Esta descrição assenta muito bem numa criatura tacanha e que a comunicação social não diz nada nem muito menos expulsa, chama-se João Quadros. Este “senhor”, dispara em todas as direcções, é um atentado aos ouvidos das crianças e de quem tem mioleira, acusa os outros de racismo e xenofobia mas é o primeiro a praticar tais actos. Um exemplo muito recente mas que se podia enquadrar para qualquer outra coisa, foi João Quadros a praticar um acto completamente porco e vil, a criatura fez uma referência à mulher de Pedro Passos Coelho que nem o pior da ala do Júlio de Matos faria, passo a citar:” Eu a pensar que só havia uma cabeça rapada em casa do Passos”. Acho que todos os doentes com cancro e que já passaram por uma das piores doenças do mundo merecem um pedido de desculpas.

img-5774-817x663.jpg

Se a comunicação social não diz, não fala e nem lhe demite dos seus cargos de comentador, então quer dizer que acha bem os comentários a gozar literalmente com pessoas com doenças dolorosas e diabólicas. Ambos estão podres, os media e a criatura que se chama Quadros, que precisa de uma moldura com espelho para ver o monstro que é.

P.S: Temos que ter o máximo respeito por todos os doentes com cancro e o nível de exigência mental que isso comporta especialmente para quem o porta e cuida desse mesmo doente. Este artigo é para criticar um individuo  racista, xenófobo e sem valores que a comunicação social dita, progressista, tem nos seus quadros. Laura Ferreira e Pedro Passos Coelho devem estar longe de holofotes. As minhas desculpas se tal aconteceu com este artigo.

Mauro Pires

Anúncios

5 comentários em “João Quadros, a moldura de uma comunicação social decadente

      1. Caro Mauro, não era nenhuma indirecta para si. O que eu queria mesmo salientar é que é uma táctica comum da esquerda fazer este gênero de acusações. Eu citei Lenine no contexto que devemos conhecer tão bem o inimigo como nós próprios.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s