Portugal, um iceberg de corrupção

tip_of_the_iceberg.jpg

Digo isto e reafirmo com toda a convicção: O caso António Mexia e Manso Neto, na EDP e EDP Renováveis, é só a ponta do Iceberg do imenso caudal de corrupção existente em Portugal. Já há muito se sabia, de pagamentos excessivos, de rendas, que o Estado Português faz à EDP por determinados contratos. Esses contratos são os CMEC, ou seja,   Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) são uma compensação recebida pela EDP desde Julho de 2007, devido à cessação antecipada de vários contratos de aquisição de energia (CAE) que a empresa tinha em cerca de três dezenas de centrais eléctricas. Esses contratos garantiam à EDP claramente uma receita previsível para a electricidade produzida naquelas centrais (Que era maioritariamente barragens).

Ora, tais contratos introduziram mais custos de contexto para as empresas, pois pagam mais electricidade do que deviam, e para os consumidores que tem das facturas de electricidade mais caras da UE. Se imposto é roubo, isto é saque. Este conjunto de rendas, não só da EDP, mas de um aglomerado de empresas que vivem à sombra do Orçamento, os tais campeões nacionais, são os que prejudicam o crescimento da Economia Portuguesa, pois sugam tudo à sua volta. Se António Mexia, CEO da EDP, é o Centeno da Gestão imagino o orgulho de Mário Centeno! Um mascara as contas com maquilhagem orçamental, outro ludibria milhões de portugueses e empresas com electricidade mais cara e com teias de chico-espertices contratuais para o atingir(podemos agradecer ao preso número 44).

Chegando a este ponto, podemos começar a somar os casos, e todos os casos de corrupção em Portugal são de soma positiva… Para os contribuintes: BPP+ BPN(PSD+PS)+ BCP(Vara+Sócrates+Santos Ferreira)+ BES+ CGD+ EDP(Rendas) e a lista é interminável. Mas somando essencialmente estes casos, por alto, temos mais de 20 mil milhões de euros que nos lesaram, a nós contribuintes pagantes. É caso para chorar. Agora também podemos começar a pensar: E se o Estado fosse mais pequeno? E se a sua intervenção na Economia fosse pequena ou nula? Acontecia isto?! Não ou talvez um caso pontual ou outro, mas a tendência é quanto mais o Estado se afasta da actividade económica, menos boys coloca lá, menos tachos cria, atrapalha menos o trabalho dos outros e não destrói riqueza.

Isto é o socialismo ,seja de esquerda e de “direita” ,no seu Estado puro: clientelismo, corrupção, troca de favores e “amigismos”. Portugal já perdeu muitos anos de crescimento económico, de oportunidades de sermos mais ricos saudavelmente e de não termos tanta emigração, mas nunca abraçamos essa oportunidade que é o liberalismo, e reparem, estamos sempre a falar desses Países como modelo, mas nunca nos apercebemos seja: Suiça, Suécia, Dinamarca, Reino Unido entre outros. Isto são Países liberais, se queremos ser como eles temos que reduzir o Estado e a sua influência, já sabemos o que dá, e de seguida baixar impostos, eliminar regulações e burocracias para atrair investimento, criar de riqueza, mais e melhores salários.

Podemos ser todos mais ricos, é só deixar o socialismo de lado. O caso José Sócrates, tenho comigo um feeling, que é outra teia brutal de socialismo entrelaçado e que quando este cair, vai levar muita gente consigo atrás. Talvez a Maçonaria nos possa explicar certas coisas…

Mauro Pires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s