Portugal e o Euro- O exemplo do investimento da Mercedes na Hungria

EuroCrisis

 

O povo Português, em geral, seguindo o exemplo da classe política Portuguesa, e alguma Europeia, culpa a Europa e o Euro de todos os nossos problemas e males. Muitos se esquecem do que era o Portugal antes de entrar na UE e no Euro, eramos um País atrasado a nível de qualificações, infraestruturas, tecnologia e com desequilíbrios económicos significativos, acho que poucos se esquecem da hiper-inflação com o salários que recebíamos a ser mais baixo que a renda da casa que tínhamos que pagar, o que exigia um esforço acrescido por nossa parte para esticar aqui e acolá. A nossa entrada na UE permitiu-nos receber fundos estruturais para a nossa situação económica e social convergir com o resto dos outros Países da UE, e defacto convergimos, construímos infraestruturas, algumas a mais, como as rotundos e piscinas do PS e algumas estradas de Cavaco Silva, as nossas qualificações aumentaram, a nossa produtividade obteve aumentos também significativos, o que originou alguma controvérsia, e má controvérsia, pois a riqueza gerada nas diversas atividades produtivas como na agricultura(até certa altura) e indústria(até certa altura), ou seja, o contributo que dão para o crescimento do PIB, aumentou e o emprego diminuiu pois o número de máquinas a fazer o serviços dos trabalhadores aumentou, o que permitiu aumentar a produção e diminuir o custo da mesma gerando economias de escala, muita gente confundiu isto com a destruição da indústria e da agricultura, não é bem assim.

O que provocou a paralisação da indústria em Portugal foram os constantes governos que aumentavam os entraves ao empresários e ao investimento externo, com burocracias, licenças, certificados ambientais bem como um conjunto diversificado, de impostos e taxinhas por todo o lado e feitio que impede o crescimento da nossa indústria, um País que cujas empresas estão descapitalizadas, logo não tem capital para reinvestir na renovação do seu stock de capital fixo(máquinas) e aumentar a sua produção, logo fazer crescer o PIB, tem o Estado pela frente para lhes descapitalizar ainda mais, querem que indústria floresça em Portugal? Cortem despesa e eliminem o IVA na electricidade, reduzam o IRC para 10%, acabem com o licenciamento e desçam para metade o pagamento especial por conta(ou eliminem consoante os constrangimentos orçamentais). Se queremos atrair investimento é assim que temos que fazer. O problema não é o Euro, que nos trouxe taxas de juro baixas, as mais baixas de sempre e condições de financiamento nunca antes vistas, o problema é nosso que gostamos de crédito ao consumo excessivamente e temos um Estado clientelar que privilegia as empresas campeãs do regime. O Euro  e a UE permitiu-nos todas as condições para crescermos, financiamento, uma moeda forte e internacionalmente reconhecida, livre circulação de bens, serviços, capitais e pessoas e jorradas de dinheiro para convergirmos, nós não fizemos reformas e as poucas que fizemos ao longo destes anos estão a ser revertidas, o Mundo não para e Portugal vai sair prejudicado outra vez, não por falta de ajuda, mas por inacção própria.

Dou-vos um último exemplo para terminarmos esta longa conversa, foi oficialmente anunciado pela Daimler o investimento de mil milhões de euros na criação de uma nova fábrica na Hungria, destinada à produção de modelos da Mercedes-Benz esta decisão permitirá criar cerca de 2500 novos postos de trabalho, a juntar aos 4000 já existentes, e aumentar consideravelmente a capacidade de produção da Mercedes em solo húngaro, que é actualmente de 180 mil unidades/ano. Ora um País como a Hungria, está a receber investimento com elevado valor acrescentado e que vai pagar bons salários aos seus trabalhadores, a Hungria tem uma taxa de IRC muito inferior à nossa, tem pouca burocracia, não intimida os investidores e enriquece, nós ficamos contentes com investimentos de 50 milhões ali e 70 milhões acolá, estes recebem um só investimento de 1000 mil milhões de euros, não é caso para termos vergonha na cara?

Nota final: Tive oportunidade,de escrever no Facebook do PortugalGate, sobre o que Miguel Sousa Tavares, comentou, no jornal da noite da SIC de segunda feira. Este senhor, além de ter dito um conjunto de mentiras e ninguém na SIC o corrige, é desonesto. Diz que Passos Coelho atirou o Pais para a Bancarrota económica… É por isso que eu não gosto de inalar. Com respeito para o curso de direito, mas eu não sei nada sobre direito, não comento, este não percebe nada de economia e comenta… Santa Paciência.

P.S: O PortugalGate já tem página de facebook! Siga-nos mais facilmente: https://www.facebook.com/PortugalGate-1731269987184043/

Anúncios

2 comentários em “Portugal e o Euro- O exemplo do investimento da Mercedes na Hungria

  1. Muito bla bla para acertar pouco. Sobre a sua europa deixe falar quem sabe, um grande da UE, Otto Von Habsburg em 2007: ” temos de nos defender dos americanos que querem fazer com a Europa aquilo que a Europa fez com Portugal, ou seja transformá la numa Europa compradora e não vendedora” .
    Foi para isto que serviu o dinheiro que veio para cá, ainda mais para encher os bolsos da classe política que mantém a cabeça da Nação debaixo de agua.
    O Otto disse tudo com menos conversa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s