Dois homens, dois exemplos diferentes

Passos-Costa1-473x275

 

Pedro Passos Coelho e António Costa, não podiam ser duas pessoas totalmente diferentes, tanto no modo de actuação como a nível ético. O primeiro, respeita as instituições e o seu modo de funcionamento, Teodora Cardoso do Conselho de Finanças Públicas, já criticou Passos mas nunca o vimos a usar os seus deputados para ameaçar com a demissão da responsável técnica. É um Homem com defeitos como todos, mas a sua resiliência e capacidade de abnegação foram tremendamente úteis a um País um tanto desamparado. António Costa tem as “qualidades” que o povo português gosta mais: chico-espertice, malabarista, falsidade mostrando o sorriso cínico por fora, uma verdadeira naja. É o que o povo aprecia, Passos é o que o povo português mais detesta: rigor, não é populista, meritocrata e teimoso. O povo português é talhado para situações difíceis, sabemos utilizar muito bem o nosso melhor mecanismo automático, a emigração, que sempre nos ajudou a escapar de um conjunto de políticos tanto de esquerda tanto de direita da sua incapacidade de reformar o País e deixar de lado as suas diferenças. Levamos há muitos anos com políticos incompetentes de todo o quadrante político, nenhum colocou o País à frente dos seus interesses e do seu partido, Passos fez isso mesmo, e é por isso que ninguém lhe perdoa.

O projecto político, económico e social dos dois, é outro muro das lamentações. Passos tem um projecto mais liberal, mais próximo da Irlanda e do conceito de liberdade individual que todos nós merecemos, com menos Estado, menos burocracia e regulações e no futuro, menos impostos. Passos não conseguiu nem ficar a meio do seu projecto, reformar este País exige bastantes anos e estabilidade governativa, com o PS também comprometido com reformas, mas António Costa não está para ai virado. O 4 de Outubro de 2015 ficará marcado para a nossa história, como o nosso voto conta puto, zero, bola! O povo português escolheu um Homem para o leme do País, não escolheu um aprendiz de maçon. António Costa sempre teve o sonho de ser Primeiro-Ministro, se não foi pela via legal foi na secretaria, o projecto deste consiste em aproximar o PS para o extremo para sugar o PCP e o BE para ter maioria absoluta numas legislativas antecipadas, sim antecipadas, até 2019 os estímulos monetários do BCE já terão acabado e as taxas de juro já terão subido, os nossos juros vão subir até 6% sem o efeito BCE, não vamos aguentar tal pressão sem fazer reformas, sem ter superavites e sem reduzir a dívida. É este o projecto de António Costa, sobreviver. Se correr bem, o Estalinismo em Portugal vencerá e podemos começar a comprar bilhetes de ida para fora daqui, como vai correr mal, o grupo de Bildberg vai arranjar um trabalhinho para o seu membro e nós vamos abrir as carteiras, nada de novo.

 

P.S: O PortugalGate já tem página de facebook! Siga-nos mais facilmente: https://www.facebook.com/PortugalGate-1731269987184043/

Anúncios

11 comentários em “Dois homens, dois exemplos diferentes

  1. Como se pode comparar o incompetente, inculto, pouco inteligente Passos Coelho, que em 4 anos quase que destruiu um país , com um pessoa brilhante como é António Costa ? Tenham juízo !!!!

    Curtir

    1. Eu fico realmente sem esperanças nenhumas para este país quando leio comentários como o seu. O texto faz uma analise apreciativa correcta. Começo até começar a pensar que é do PS. O sr por acaso faz contas? Pois eu digo-lhe alguns numeros e vai caber-lhe a tarefa de os contrariar: em 2010 a despesa do estado extra-impostos foi de 20 mil milhoes, totalizando um gasto de 90. Foi ai que a Troika veio pois o financiamento exterior cessou. Passos teve então a tarefa ingrata de aplicar algumas das reformas exigidas pela Troika de forma a ter acesso ao emprestimo. Estas medidas fizeram a despesa cair bruscamente que veio de 90 para 82 mil milhoes em 2012. Foi esse corte abrupto que causou a descida de salarios e pensões, isso porque 88% da despesa do estado vem daí e por isso não era evitável. Todavia entre 2012-2015 o numero de investidores externos em Portugal subiu, timidamente certo mas a subir. Ora quando Costa subiu ao poder o ritmo de endividamento subiu vertiginosamente cerca de 5x superior, sendo primeiro OE do seu governo 5 mil milhoes a mais que em 2012 e é por isso que a divida não para de crescer. Salarios e pensões actualizados com emprestimos e para além disso as medidas fiscais são alteradas com frequência o que afugenta o investimento. Isso são medidas absolutamente loucas de curtissimo prazo que vão originar cortes ainda mais duros. O sr informe-se, tá bem?

      Curtido por 1 pessoa

      1. Infelizmente Humberto não se pode mudar mentalidades de um dia para o outro, vai demorar tempo, o problema é que o povo só se aperceba do desastre em que caímos depois de mais bancarrotas sucessivas!

        Curtir

  2. boas ;;o problema è so um ;são políticos ;;mas desse coelho eu não esqueço os quatro feriados que roubou ao simples povo ;;;isto e so um exemplo :; são políticos sem conhecimento algum do que estão a fazer ;;;fundações quanto cortou ? zero ;;;de A a Z / BANDIDOS !

    Curtir

    1. O sr diz roubou os feriados. Bom, então na sua forma de ver é natural que existam tantos feriados,ou seja, tantos dias em que as pessoas são renumeradas sem produzir nada. De onde é que vêm a renumeração para esses dias uma vez que não existe produção? Essa é a pergunta que toda a gente devia fazer.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s